Desde que deixou a liderança do Brasileiro, o São Paulo persegue o Corinthians. Sentiu o gosto da ponta por horas na semana passada, mas vem falhando na tentativa de passar o rival.

Agora, o time terá uma sequência que lhe permite sonhar com a volta à primeira colocação do Nacional.

  Juca Varella – 08.jul.2011/Folhapress  
Rivaldo chuta bola durante treino no CT da Barra Funda
Rivaldo chuta bola durante treino no CT da Barra Funda

Hoje, contra o Ceará, às 18h, no Morumbi, o time pode reassumir a liderança momentaneamente. Basta vencer e torcer por um tropeço do atual vice-líder, o Vasco.

Mas, para isso, terá que superar as suas deficiências. O jogo será no mesmo palco do revés que lhe custou o topo na já distante sétima rodada, contra o Botafogo. E onde o rendimento do time na atual edição do torneio é pífio.

Dos 11 jogos em casa, venceu apenas cinco e ganhou 54% dos pontos disputados.

Entre os times que estão no G4, o São Paulo é o que tem a pior defesa: 28 gols sofridos.

A explicação para isso está nos números. Segundo o Datafolha, a equipe de Adilson Batista é a segunda que menos desarma na competição: 108 desarmes por jogo.

A média é bem mais baixa que a do líder no quesito, o Corinthians, que rouba 144 bolas em média por jogo.

A ineficiência tem tido efeito sobre a zaga. O time é o sétimo que mais permite que os rivais chutem a gol. São, em média, 13 tiros concedidos.

Apesar de ser o quinto melhor ataque, com 35 gols, o São Paulo é a equipe que menos arrisca no Nacional, com 11 finalizações em média.

E hoje Adilson terá um problema maior. Dagoberto, artilheiro no ano com 20 gols e 14 assistências, está suspenso. Para sua vaga, o treinador faz mistério ao afirmar que Henrique, Marlos e Rivaldo podem jogar no ataque.

Mas o comandante minimiza as falhas da equipe.

“Tenho consciência do que estou fazendo e das dificuldades. Desde o início, teve cobranças e questionamentos. Isso é o futebol”, disse ontem o treinador são-paulino.

“Temos que estar atentos, continuar entre os primeiros e, no momento certo, dar a arrancada. Esperamos fazer um grande jogo e vencer o Ceará”, resumiu Adilson.

O clube conseguiu ontem um efeito suspensivo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva que permite a escalação de Carlinhos Paraíba. O volante foi expulso na partida contra o Santos, em 28 de agosto, na Vila Belmiro. Julgado, ele recebeu duas partidas de suspensão.

O volante já cumpriu uma diante do Fluminense, mas, por enquanto, não precisará cumprir a segunda por conta do efeito suspensivo.

O site oficial do São Paulo divulgou nota ontem que informa ainda não haver data para um novo julgamento.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog