Acusações contra Silva são graves, diz presidente de Comissão de Ética

O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Sepúlveda Pertence, afirmou que são “graves” as acusações contra o ministro Orlando Silva (Esporte). Um policial militar afirma ter entregue um pacote de dinheiro ao ministro, na garagem do ministério. Orlando Silva nega a acusação.

A comissão de ética, reunida desde a manhã desta segunda-feira (17), discutirá o caso do ministro à tarde. Pertence, contudo, afirma que, se um processo administrativo for aberto hoje, “será ultra preliminar”.

Dilma convoca ministro do Esporte para dar explicações
PM acusa ministro Orlando Silva de montar esquema de corrupção
Oposição pedirá à Procuradoria que investigue ministro do Esporte
Denúncias contra ministro do Esporte ‘são infundadas’, diz PC do B

O presidente da comissão evitou entrar no mérito do caso. Segundo Pertence, a discussão será baseada nas reportagens publicadas na imprensa sobre o caso.

“Talvez a coisa esteja um pouco verde”, afirmou Sepúlveda Pertence. “Acusação de suborno é sempre grave, mas depende de quem a sustenta. Há uma acusação de um cidadão. Não se tem mais nada por ora.”

Pertence, apesar disso, afirma que a acusação, por si só, gera uma preocupação natural sobre os preparativos para a Copa-2014, “pelo papel que o ministro tem neste momento”.

PALOCCI

A comissão não discutiu, também, o andamento das investigações contra o ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil). Segundo Sepúlveda, por conta da ausência do conselheiro-relator do caso.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog