Após 21 anos, Ariano decide deixar o PSB

Ex-secretário teria tomado a decisão, segundo admitem socialistas em reserva, após desentendimento com Milton Coelho

O escritor Ariano Suassuna resolveu desligar-se do PSB após 21 anos no partido. O ex-secretário de Cultura de Pernambuco e atual assessor especial do governador Eduardo Campos tomou a decisão dois meses atrás, segundo informações de socialistas, em reserva. Desentendimentos de ordem pessoal com o presidente regional da sigla, o vice-prefeito do Recife, Milton Coelho, teriam motivado a saída. O assunto é tratado com bastante discrição pelos membros da legenda, que não falam abertamente sobre a questão.

Fontes socialistas ouvidas ontem pelo JC confirmam que o escritor entregou a carta de desfiliação na sede do partido, e pareceu irredutível. “Ele disse que só voltaria quando Milton Coelho deixasse de ser presidente (regional)”, comentou uma delas.

Ariano entrou no PSB em abril de 1990, junto com o ex-governador Miguel Arraes. O escritor viajou ontem a Brasília a fim de ministrar aula. Segundo sua assessoria, só estará no Recife amanhã, quando será consultado sobre se deseja falar sobre a desfiliação.

Nos bastidores, trabalha-se para construir uma “saída honrosa” para o presidente estadual do PSB. Avalia-se que uma “cara nova” seria o ideal para substituí-lo sem deixar margem para traumas maiores. A convenção que definirá a nova composição do diretório regional da sigla está marcada para 30 de outubro. Antes, no dia 25 deste mês, haverá a eleição dos delegados nos congressos municipais.

O secretário-geral do PSB no Estado, Adilson Gomes, diz desconhecer a desfiliação de Ariano. Sobre novo nome para presidir o diretório regional, desconversa. Mas deixa no ar uma possível troca de comando. “A tendência do PSB, que está crescendo nacionalmente, é se oxigenar”.

Com Do Jornal do Comércio

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog