Aumenta a ‘disputa’ no ranking da enfermaria

O fim de semana que marca a volta de Valdivia ao Palmeiras, hoje, e a esperada estreia de Luis Fabiano no São Paulo, amanhã, ajudará a definir o ranking do estaleiro em 2011 dos grandes paulistas.

  Rodrigo Coca – 28.set.2011/Fotoarena/Folhapress  
Adriano treina no Corinthians; atacante não joga neste domingo
Adriano treina no Corinthians; atacante não joga neste domingo

Quatro nomes badalados e caros competem desde o início do ano pelo posto de líder do “chinelinho”, termo muito usado no futebol para definir quem passa muito tempo no departamento médico.

Adriano, que realizou enfim coletivo nesta semana no Corinthians, não foi relacionado para o jogo de amanhã contra o Vasco e tem grande chance de terminar a temporada como o mais azarado.

O santista Paulo Henrique Ganso, que só deve voltar aos gramados no dia 23 de outubro, contra o Flamengo, deve perder mais quatro jogos por lesão e corre por fora.

Levantamento feito pela Folha mostra que Valdivia, criticado por alguns palmeirenses por ficar fora do time e servir a sua seleção, onde já se contundiu, ficou “apenas” 22 partidas no ano sem poder defender o clube por lesão.

No seu ranking interno de estaleiro, o Palmeiras dá só a medalha de bronze para Valdivia. A prata fica com Pierre, que nem está mais no elenco e ficou 27 jogos fora. O ouro é de Dinei. Com 31 partidas “perdidas” por questão física, briga com renomados.

Luis Fabiano, quando encarar o Flamengo amanhã, estacionará nos 32 jogos de molho no São Paulo. Não se contam jogos do Paulista –ele não estava inscrito, o que não o deixaria atuar mesmo.

No Sevilla, o Fabuloso começou o ano bem, marcando bom número de gols até se lesionar contra o Athletic Bilbao, no dia 6 de março. Nem deu para desfalcar seu time por lesão, pois dias depois acertou com o São Paulo.

Situação diferente da de Adriano, que machucou o ombro quando defendia a Roma e passou por cirurgia.

Com a seca de gols do Imperador no time italiano, ele poderia ficar fora de jogos por questão técnica mesmo, porém a conta do estaleiro no exterior aponta 11 jogos fora de combate por essa lesão.

Somando os 26 jogos que ele ficou sem atuar no Corinthians por causa da lesão no tendão de aquiles do pé esquerdo, já são 37 partidas no ano sem atuar –serão 38 amanhã, o recorde a ser batido no ranking do estaleiro.

Ausente de 29 partidas no Santos em 2011 por contusão, Ganso certamente alcançará ainda no Brasileiro a marca de 33 confrontos de fora.

Mesmo sem Adriano e Luis Fabiano na maior parte do Brasileiro, Corinthians e São Paulo continuaram muito vivos na briga pelo título.

Mesmo sem Ganso em muitas oportunidades, o Santos faturou a Libertadores e o Paulista. Valdivia, aparentemente, foi quem mais fez falta ao seu clube, pois o Palmeiras já não ambiciona muito um troféu nesta temporada.

O ano, porém, não acabou. Há tempo para mais lesões.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog