Bovespa perde 0,33% na abertura; dólar atinge R$ 1,77

As ações brasileiras são negociadas com desvalorização nas primeiras operações registradas na rodada desta terça-feira. Ontem, os mercados financeiros receberam em cheio as advertências de autoridades alemãs sobre os problemas para resolver a crise das dívidas soberana. E hoje, mais uma bateria de eventos econômicos na China, nos EUA e na própria Europa também pode pressionar os preços na sessão de hoje.

O índice Ibovespa, principal termômetro dos negócios da Bolsa paulista, recua 0,33%, aos 53.735 pontos. Ontem, a Bovespa fechou em queda de 2%.

O dólar comercial é negociado por R$ 1,774, em alta de 0,33%. A taxa de risco-país marca 229 pontos, número 0,43% abaixo da pontuação anterior.

As principais Bolsas europeias operam com perdas, a exemplo de Londres (recuo de 0,61%) e Paris (baixa de 0,98%).

Entre as primeiras notícias do dia, o Birô Nacional de Estatísticas (BNE) chinês informou que o país teve um crescimento de 9,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com idêntico período no ano passado. No segundo trimestre, nos mesmos termos de comparação, o incremento do PIB foi calculado em 9,5%.

A desaceleração do crescimento econômico no gigante asiático não foi bem recebida nas Bolsas asiáticas, que fecharam em queda.

Outro dado que também preocupa os investidores foi a advertência da agência Moody’s, sobre uma possível revisão do ‘rating’ (nota de risco de crédito) da dívida soberana francesa.

A agência manteve a qualificação máxima para as condições de solvência do país, mas indicou que a nação europeia enfrenta sérios desafios financeiros, com a necessidade de ajudar os países mais fragilizados na zona do euro, e que vai monitorar suas reformas econômicas e financeiras.

Nos EUA, o índice de preços PPI (preços no setor atacadista) revelou uma inflação de 0,8% ante estabilidade em agosto e alta de 0,2% em julho. Economistas do setor financeiro projetavam uma variação bem menor, na casa de 0,2%.

O chamado “núcleo” do índice, que exclui os preços de energia e alimentos (mais voláteis) do cômputo total, também ficou acima das expectativas, ao mostrar uma variação de 0,2%, ante projeções de 0,1%.

No final da tarde de hoje, o presidente do banco central americano, Ben Bernanke, deve discursar sobre os efeitos da recessão na política monetária dos EUA.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog