Brasil ainda pode perder dois atletas no Pan

O Brasil salvou alguns de seus atletas, mas ainda corre o risco de sofrer cortes na delegação que disputará o Pan de Guadalajara, no México.

Às vésperas do início do evento, que terá a cerimônia de abertura no dia 14, a organização havia exigido a exclusão de competidores de diversos países. A justificativa era o excesso de inscritos.

Mas, após reunião na última sexta, a entidade recuou em boa parte dos pedidos.

O Brasil, que tinha os times de atletismo, tiro e natação ameaçados e poderia ter de excluir sete nomes, corre o risco de perder só dois nadadores –tem 40 inscritos.

Nicholas Santos e Michele Lenhardt, que têm vagas para nadar os revezamentos, foram mantidos no grupo.

“Outras duas vagas estão pendentes, e o COB prossegue lutando para mantê-las. Agora, o assunto está com a Odepa (Organização Desportiva Pan-Americana) e a Uana (União Americana de Natação)”, disse o Comitê Olímpico Brasileiro em nota.

Apesar da possibilidade de perder competidores, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos deve enviar todos os inscritos ao México. O embarque será hoje.

Na natação, seriam retirados 176 nadadores: atletas que nadarão somente revezamentos e outros com os piores tempos no ranking.

A equipe de atletismo, que poderia perder dois competidores, não sofrerá cortes. O país cortaria os segundos reservas de dois revezamentos.

No tiro esportivo, a gaúcha Cibele Breide Martins, 37, foi cortada, mas não por pressão da organização dos Jogos. O time feminino tinha uma de suas vagas ameaçada.

De acordo com a CBTE (Confederação Brasileira de Tiro Esportivo), o Brasil inscreveu um nome a mais, e o corte foi feito com base na última competição em que as atletas estiveram envolvidas.

No atletismo, na natação e no tiro, os Jogos do México são uma das oportunidades de conquista da vaga para a Olimpíada de Londres-2012.

Dirigentes brasileiros ouvidos pela Folha acreditam que a organização da competição mexicana queria fazer cortes de atletas para diminuir os gastos do evento.

Dizem que não é incomum alguns esportes estourarem o limite de inscritos em competições multiesportivas.

Quando isso acontece, geralmente há um rearranjodas vagas utilizando postos de esportes que não foram totalmente preenchidos.

Reprodução/Facebook
Ana Luiza Ferrão (esq.), Cibele Breide e Roberta Boldrini (dir.) com o bronze nos Jogos Mundiais Militares, no Rio
Ana Luiza Ferrão (esq.), Cibele Breide e Roberta Boldrini (dir.) com o bronze nos Jogos Mundiais Militares, no Rio

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog