Brasil ajudou “Anjo da Morte” argentino, dizem documentos

O Brasil pressionou o Reino Unido, durante a Guerra das Malvinas, em 1982, pela repatriação de um acusado de crimes contra os direitos humanos na ditadura militar argentina (1976-1983).

É o que revelam telegramas confidenciais assinados pelo então embaixador brasileiro em Londres, Roberto Campos (1917-2001), ex-ministro do Planejamento após o golpe militar de 1964, de acordo com reportagem dos jornalistas João Carlos Magalhães e Rubens Valente.

A íntegra dos 110 telegramas produzidos no auge da guerra está disponível a partir de hoje no Folha Transparência (www.transparencia.folha.com.br), que já colocou na internet 1.361 telegramas cujo sigilo foi retirado pelo Itamaraty a pedido da Folha.

A Guerra das Malvinas, iniciada em 1982, foi o maior conflito armado entre um país da América do Sul e outro da Europa desde o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), e deixou cerca de mil mortos nos dois lados. Em abril, o conflito completará 30 anos.

Logo após o início do conflito, Reino Unido e Argentina cortaram relações diplomáticas. Na época, o Brasil — governado por um ditador, o general João Figueiredo (1918-1999)– orientou sua embaixada em Londres a atuar na proteção de interesses da Argentina em solo britânico.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog