Brasileira é cortada por doping e deve perder recorde

A brasileira Simone Alves da Silva, recordista sul-americana dos 10.000 m, foi suspensa provisoriamente, nesta sexta-feira, pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e terá sua inscrição nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara cancelada.

  Ricardo Nogueira – 03.ago.11/Folhapress  
Simone Alves da Silva durante a prova dos 1.500 m no Troféu Brasil
Simone Alves da Silva durante a prova dos 1.500 m no Troféu Brasil

A atleta foi flagrada no exame antidoping justamente na disputa pela qual conseguiu o recorde, com o tempo de o tempo de 31min16s56, no Troféu Brasil de Atletismo, que aconteceu no dia 3 de agosto deste ano.

De acordo com comunicado da CBAt, a amostra de urina da atleta acusou a presença da substância proibida Eritropoetina Recombinante (EPO), no dia 5 de setembro. Uma contraprova foi pedida, e o resultado persistiu.

“Desta forma, as justificativas da atleta não foram aceitas pela entidade, tendo a confederação comunicado à atleta no dia de hoje [sexta-feira] este fato, considerando o resultado analítico adverso como infração de dopagem, em conformidade com as Normas da Wada/Iaaf”, indicou o anúncio da CBAt.

Antes do flagrante na primeira amostra de Simone ter sido divulgado, a atleta protagonizou um corte da seleção brasileira de atletismo, horas antes do embarque para o Mundial de Daegu, por motivos mal explicados.

A Iaaf (entidade máxima do atletismo mundial) anunciou que todos os atletas seriam submetidos a exames antidoping no Mundial, e a brasileira pediu dispensa por lesão, mas não especificou qual seria o problema.

Após a suspensão preventiva, a atleta terá 14 dias a contar de hoje para solicitar o seu julgamento pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Segundo Thomaz Mattos de Paiva, presidente da Anad (Agência Nacional Antidoping), a atleta pode perder o recorde. “Ela será julgada e só então será condenada ou não. Se ela for condenada, a marca alcançada será revogada e ela perde o recorde”, afirmou à Folha.

Simone Alves da Silva não foi encontrada para comentar o caso.

DEMITIDA

Após o anúncio da CBAt, Simone teve também seu contrato rescindido com o Clube de Atletismo BM&F/Bovespa.

“O Clube de Atletismo BM&F/Bovespa informa que segue rigorosamente a determinação do Código Mundial Antidoping e não concorda com qualquer transgressão à regra. Diante disso, tão logo os dirigentes do Clube foram notificados oficialmente dos fatos, decidiram desligar Simone Alves da Silva de seu quadro de atletas, conforme previsto no contrato firmado entre as partes”, anunciou o clube, em nota oficial.

Com s Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog