Cacique acusado de degolar funcionário da Funai vai a julgamento em MT

Um cacique da etnia xavante começou a ser julgado nesta terça-feira (18) na Justiça Federal de Mato Grosso sob acusação de matar um servidor da Funai (Fundação Nacional do Índio) em 2001.

Segundo o Ministério Público Federal, o cacique Marvel Tsôwôon Xavante agrediu e degolou com um canivete o servidor federal Floriano Márcio Vieira Guimarães, chefe do Posto Indígena de Água Boa (750 km de Cuiabá).

O crime ocorreu no dia 26 de setembro, a cerca de 100 de metros de uma aldeia localizada na Terra Indígena Parabubure, da etnia xavante.

O servidor havia passado o dia todo com o cacique, trabalhando com a demarcação de terras que iriam abrigar um projeto de agricultura familiar.

À noite, quando foi deixá-lo na aldeia, acabou atacado e morto. “Antes de ser degolado, Floriano foi duramente atingido com golpes em ambos lados da face e no tórax”, afirmou a procuradoria, na denúncia.

O cacique sempre negou participação no crime. Em depoimento à Justiça, ele afirmou que o servidor o deixara longe do local do crime e que voltou à aldeia de carona em um caminhão pertencente à etnia.

A versão foi contestada por testemunhas não-índias, que viram o cacique e o servidor passarem de carro juntos na estrada que leva à área, e também por outros xavantes.

Marvel Xavante foi denunciado sob acusação de homicídio triplamente qualificado (motivo fúti, meio cruel e mediante emboscada).

“Muito embora seja índio, encontra-se plenamente integrado à sociedade, pois possui instrução escolar, sabendo ler e escrever, ressaltando inclusive que já foi candidato a vereador”, diz a denúncia.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog