Capiberibe pede a Sarney para deixarem divergências de lado

Alan Marques/Folhapress

Em posse no Senado, Capiberibe pede
a Sarney para esquecerem divergências

Em seu discurso de posse, o senador João Capiberibe (PSB-AP) pediu ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que deixem suas divergências políticas e ideológicas de lado para que trabalhem em parceria para tirar o Amapá do caos.

Adversários políticos, Sarney foi acusado de protelar a posse de Capiberibe, que foi barrado pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, tendo seu mandato liberado após o STF (Supremo Tribunal Federal) decidir que a norma não deveria ter sido aplicada nas eleições de 2010.

Na tribuna do Senado, Capiberibe disse que não poderia ignorar o recado ao peemedebista. Sarney comandou a posse da Presidência, mas não se manifestou.

“Confesso que independe das divergências políticas, ideológicas que possamos ter, vamos trabalhar pelo Amapá acima de tudo. Não vou negar, é notório que existem diferenças com meu colega de bancada José Sarney para atender a demanda do povo que nos elegeu. Isso não será obstáculo. Vamos juntos definir um plano da bancada de forma articulada ao governo Dilma Rousseff”, disse.

Capiberibe ainda atacou a Justiça Eleitoral ao afirmar que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) “jogou para a plateia para fazer valer a Lei da Ficha Limpa” ao impor sua terceira cassação. Ele disse que foi cassado sem justificativas tendo como a única prova o depoimento de duas mulheres que teriam dito que venderam o voto por R$26.

A posse foi acompanhada pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), pelo vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, deputados, correligionários e familiares. Presidente do PSB, o governo Eduardo Campos (Pernambuco) não compareceu.

O PSB passa a ter 4 senadores. O PMDB perdeu uma vaga e conta agora com 17 senadores, permanecendo com a maior bancada.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog