Carro-bomba mata 3 e fere 25 na 2ª maior cidade da Síria, diz oposição

Um carro-bomba explodiu em uma área residencial da cidade de Aleppo, na Síria, neste domingo (18), deixando pelo menos três mortos e 25 feridos até agora, segundo a oposição síria.

saiba mais

O Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que o ataque atingiu o bairro de Suleimaniye, em uma região próxima à sede dos serviços de segurança na segunda maior cidade síria. A TV estatal confirmou que houve uma explosão “terrorista”, mas não citou cifras.

Moradores disseram à entidade oposicionista, com sede em Londres, que viram corpos nas ruas e relataram uma explosão pesada, que abalou a região.

Imagem da TV estatal sírio mostra carros destruídos por explosão neste domingo (28) em Aleppo (Foto: AFP)Imagem da TV estatal sírio mostra carros destruídos por explosão neste domingo (28) em Aleppo (Foto: AFP)

Na véspera, duas explosões deixaram pelo menos 27 mortos e quase cem feridos em Damasco, capital do país em crise.

A Síria enfrenta, há mais de um ano, uma rebelião contra o contestado governo do presidente Bashar al Assad.

mapa aleppo atentado 18/3 VALE ESTE (Foto: Arte G1)

A repressão aos protestos matou mais de 8.000 pessoas, a maioria civis, segundo a ONU.

O atentado deste domingo é pelo menos o quinto com uso de carro-bomba que atinge uma grande cidade da Síria, desde o início da revolta.

Ativistas e o governo já trocaram acusações em atentados anteriores.

Como o governo restringe o trabalho da imprensa, é difícil estabelecer quem é responsável pelos ataques.

Repressão continua
A oposição também informou que as tropas do governo executavam neste domingo operações militares em muitas províncias do país, onde manifestantes saíram às ruas para exigir a queda de Assad.

Ações militares com tanques e veículos de tropas aconteceram em Jabal al-Zawiya, na província de Idleb (noroeste).

Na mesma região, uma grande manifestação acontecia na cidade de Habit.

Em Damasco, uma passeata reuniu centenas de pessoas. As forças oficiais e as milícias ligadas ao regime agrediram Mohammed Sayyed Rassas, dirigente do Comitê de Coordenação para a Mudança Nacional e Democrático (CCMND), segundo o OSDH.

Rassas foi detido ao lado de vários jovens que participavam na manifestação organizada pelo CCMND, que reúne partidos nacionalistas árabes, curdos, socialistas e marxistas, assim como personalidades independentes.

Confrontos também foram registrados em Artuz, Atareb e Aazaz, assim como em Deir Ezzor.

Fonte: Do g1, com agências internacionais

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog