Ceará tem segundo vereador assassinado em menos de dois dias

O interior do Ceará registrou na noite da terça-feira (20) o segundo assassinato de vereador em menos de dois dias, em municípios diferentes.

Vereadores são baleados dentro de Câmara no Ceará

O vereador Amarílio Pequeno da Silva (PPS), 56, de Juazeiro do Norte (região do Cariri), foi morto a tiros na noite desta terça. Ele jantava com um amigo, o policial civil aposentado José Alves Bezerra, 55, que também foi assassinado.

Segundo a polícia, quatro homens em duas motocicletas dispararam tiros contra os dois homens, que chegaram a ser socorridos pela população e levados ao hospital.

Policial militar, Amarílio Pequeno da Silva estava licenciado para exercer seu segundo mandato como vereador. Ele ocupava o cargo de secretário de Governo de Juazeiro do Norte. A prefeitura da cidade divulgou nota de lamento o assassinato e decretou luto oficial de três dias.

CRIME ANTERIOR

O crime acontece no dia seguinte a outro semelhante, também contra políticos. Na segunda-feira (19) à tarde, dois vereadores da cidade de Jaguaretama, na região do Vale do Jaguaribe, foram baleados no prédio da Câmara Municipal, logo após o fim da sessão.

O vereador Marcos Rogério Machado de Lima (PRB), 39, morreu e o vereador José Antônio Lopes (PMDB), que foi atingido no peito, ainda está internado.

Os episódios nas duas cidades estão sendo investigados e, de acordo com o diretor do Departamento de Polícia do Interior, Jocel Dantas, inicialmente não há indícios de motivação política. Ninguém foi preso até o momento.

O delegado municipal de Juazeiro do Norte, Washington Mendes, disse que ainda é cedo para adiantar qualquer detalhe da investigação, mas que as linhas consideram também as atividades pessoais dos dois mortos, que atuavam no comércio na região.

O presidente da União dos Vereadores e Câmaras do Ceará, Deuzinho Filho, confirmou que os casos não envolvem disputas políticas, mas lembrou que não é a primeira situação de violência contra parlamentares no Ceará. Para ele, a situação é “grave e preocupante”.

Deuzinho Filho disse que solicitou à Secretaria da Segurança Pública do Estado reforço policial para a realização de sessões nas câmaras do interior cearense e disse que a instituição vai discutir com os presidentes das casas legislativas a questão da segurança dos vereadores.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog