Ciclo de alta da inflação termina neste trimestre, avalia BC

Apesar de o índice oficial de preços ter alcançado 7,23% em agosto, o Banco Central avalia que, neste trimestre, se encerra o ciclo de elevação da inflação acumulada em 12 meses.

A partir do quarto trimestre, as projeções do BC indicam “tendência declinante” para a inflação acumulada.

BC projeta recuo no preço da gasolina entre julho e dezembro
BC prevê inflação menor e ‘ao redor’ de 4,5% em 2012, diz ata do Copom
Inflação sobe 0,37% em agosto e acumula 7,23% em 12 meses
Preços de itens ligados a vícios sobem mais que inflação
Mercado eleva previsão de inflação e reduz para PIB e Selic

A informação faz parte da ata do Copom (Comitê de Política Monetária) divulgada nesta quinta-feira (8). Na semana passada, o comitê surpreendeu o mercado financeiro e reduziu a taxa básica de juros de 12,50% para 12% ao ano.

“O Comitê pondera que o cenário prospectivo para a inflação, desde sua última reunião, acumulou sinais favoráveis”, diz o BC.

RISCOS MENORES

Para o BC, o processo de moderação em que se encontra a economia brasileira, devido às medidas já adotadas, “tende a ser potencializado pela fragilidade da economia global. Dessa forma, o balanço de riscos para a inflação se torna mais favorável.”

Pela primeira vez, a instituição diz que os riscos derivados do “descompasso” entre oferta e demanda são decrescentes, embora sejam ainda relevantes.

Diz ainda que o nível de utilização da capacidade instalada recuou, se encontra “abaixo da tendência de longo prazo” e está contribuindo para “conter pressões de preços”.

Apesar de citar novamente o “nível de incerteza crescente” na economia, o BC “identifica riscos decrescentes” para que a inflação alcance o objetivo de 4,5% no final de 2012.

Em relação às decisões futuras, o BC diz que levará em conta fatores como contenção das despesas do setor público e crescimento da renda e do crédito.

PLACAR

Em relação ao placar da decisão da semana passada, em que cinco diretores votaram pela redução dos juros e dois pela manutenção, o BC diz que, “de forma unânime”, reconhece que o ambiente econômico se alterou substancialmente de modo a justificar uma reavaliação ou até reversão do processo de alta dos juros.

“Entretanto, dois membros do Comitê avaliam que o momento atual ainda não oferece todas as condições necessárias a que esse movimento tenha início imediatamente”, diz o BC.

Fonte: Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog