Cidade de Bani Walid foi totalmente libertada, diz novo governo líbio

A cidade líbia de Bani Walid, um dos últimos redutos fiéis ao ex-ditador Muammar Gaddafi, 170 quilômetros ao sudeste de Trípoli, foi “totalmente libertada”, disse nesta segunda-feira. Ahmed Bani, um dos chefes militares do Conselho Nacional de Transição (CNT).

Segundo ele, 90% a cidade –incluindo o centro da cidade– foi tomada por forças leais ao novo governo. É a primeira vez que o governo provisório consegue chegar ao centro.

De acordo com moradores, homens leais a Gaddafi recuaram devido ao avanço das forças do governo nos últimos dias. Segundo relato do morador Moammar al Warfali, combatentes do governo de transição cercaram o centro, um hospital e vários edifícios que eram usados por franco-atiradores leais a Gaddafi para impedir o avanço.

Junto com Sirte, cidade natal de Gaddafi, Bani Walid era o outro local de importância onde ainda havia resistência armada por parte do regime. “Chegamos o centro da cidade e hasteamos a bandeira”, disse mais cedo o coronel Abdullah Naker, chefe do Conselho Revolucionário de Trípoli.

Ahmad Al-Rubaye/France Presse
Forças rebeldes combatem partidários leais ao ditador Muammar Gaddafi na cidade de Sirte
Forças rebeldes combatem partidários leais ao ditador Muammar Gaddafi na cidade de Sirte

Combatentes que participam da ofensiva em Bani Walid também afirmaram que haviam entrado na cidade, que fica aninhada ente morros rochosos, cerca de 150 km ao sul de Trípoli.

Bani Walid é a terra da tribo Warfalla, a maior e uma das mais influentes do país. A cidade está sitiada há semanas, e as autoridades negociavam uma rendição com os líderes tribais.

FUGA DE SIRTE

Pessoas ligadas a autoridades do regime de Gaddafi fugiam da cidade de Sirte nesta segunda-feira, entre elas a mãe e o irmão de Mussa Ibrahim, porta-voz de Gaddafi, informou um comandante do CNT.

“São parentes de autoridades do regime. A mãe e o irmão de Musa Ibrahim estão entre eles”, afirmou Wissam ben Hamidi, ao revelar que sete veículos com homens, mulheres e crianças deixaram os dois bairros da cidade onde estão entrincheirados os últimos leais ao ditador líbio.

Quase 150 combatentes do novo regime se reuniram ao redor dos veículos, o que provocou cenas de confusão, antes que as famílias fossem retiradas rapidamente do local.

De acordo com Hamidi, comandante das operações na frente leste de Sirte, alguns ocupantes dos veículos eram pessoas procuradas pelos rebeldes, mas nenhuma era considerada importante.

Não há sinais de avanços das forças rebeldes na cidade nesta segunda-feira. Os combatentes continuam bombardeando o bolsão onde se concentram os partidários de Gaddafi, e alguns soldados se mostram irritados com seus superiores por não darem ordens para atacar.

O CNT diz que só vai começar a instauração de um regime democrático na Líbia quando todo o território — inclusive Sirte — estiver sob seu controle.

Um médico da organização Médicos Sem Fronteiras que está em Sirte disse que cerca de 10 mil pessoas continuam retidas na cidade, que tem 75 mil habitantes. Muitos desses moradores são mulheres e crianças, e alguns deles estão doentes ou feridos.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog