Cisternas de polietileno garantem acesso à água para mais de 3 mil sertanejos de Lagoa Grande (PE)

Reservatórios são destinados às famílias que enfrentam a escassez dos recursos hídricos em tempos de estiagem no semiárido.

Agamenon e a esposa Durvalina Maria  (4).jpg
Agamenon e a esposa Durvalina Maria  (5).jpg

Edvaldo André e a esposa Maria das Graças  (2).jpg

Água de qualidade na porta de casa. Essa é a nova realidade de mais de 3 mil moradores da zona rural de Lagoa Grande, no Sertão de Pernambuco, beneficiados com a instalação de 733 cisternas de polietileno, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), dentro do Projeto Água Para Todos do Ministério da Integração Nacional. Os reservatórios são produzidos pela Acqualimp, uma companhia especializada em soluções de qualidade para armazenamento e tratamento de água. “A cisterna permite o armazenamento de 16 mil litros de água, garantindo condições para uma família de quatro a cinco pessoas se manter por até nove meses de estiagem. Além disso, a tecnologia do polietileno impede vazamentos e contaminação da água, garantindo mais benefícios para a saúde da população atendida.”, explica o diretor da Acqualimp, Amauri Ramos.

De acordo com a Secretaria de Agricultura de Lagoa Grande, o abastecimento na zona rural do município é feito semanalmente, por meio de carros pipa (terceirizados, da Prefeitura, Ipa e Exército). No Sítio Queimada Grande, uma das famílias beneficiadas com a cisterna de polietileno foi a do agricultor Agamenon José de Santana, de 74 anos. “Aqui era só sofrimento. A gente tinha apenas água barrenta de um açude que fica há umas léguas de casa. Quando era na seca, precisava comprar água se quisesse sobreviver. Agora tudo é diferente. Às vezes nem acredito que vivi até aqui pra ver isso acontecer: água de qualidade na porta da minha casa”, contou ele.

 Com a chegada dos reservatórios a vida também ficou mais fácil para os moradores do Assentamento Beatriz de Jesus, distante 14 km do centro de Lagoa Grande. Aproximadamente cinco famílias foram beneficiadas na localidade. Entre elas, está a do trabalhador rural Edvaldo André Gomes, de 41 anos, e da dona de casa Maria das Graças da Conceição, 30. “A gente passou muito aperreio por aqui antes dessas cisternas. Primeiro que não chove e, segundo que pra ter água era preciso andar muito até um barreirinho mais perto, mas que a água também não é boa. Agora tudo é diferente”, contou o chefe da família, que hoje usa a água do barreiro apenas para a pequena criação de cabras.

Segundo a Secretaria de Agricultura de Lagoa Grande, um novo projeto com aproximadamente 400 cadastrados já foi aprovado pelo Conselho Gestor Municipal (CGM), e em breve vai garantir água de qualidade para mais de 2 mil pessoas que, diariamente, lutam para conviver com a estiagem que castiga o homem do campo que sobrevive, em sua maioria, da agricultura familiar e criação de bovinos e caprinos.

 Nesse primeiro semestre do ano, a Acqualimp ultrapassou o número de mais de 130 mil cisternas entregues ao governo federal. Para isso, oito unidades estão em funcionamento em Montes Claros (MG), Teresina (PI), Penedo (AL), Petrolina (PE), Simões Filho (BA),Maracanaú (CE), Palmas (TO) e Cabo de Santo Agostinho (PE). As cisternas são distribuídas por diversos órgãos públicos e ministérios para todos os estados do Nordeste (AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE), além do norte de Minas Gerais e o sudeste do Tocantins. A expectativa é que até final de 2013 a marca ultrapasse 200 mil reservatórios entregues.

SERVIÇO

A Acqualimp disponibiliza uma linha de telefone gratuita pela qual os beneficiados pelo APT podem tirar dúvidas sobre como realizar a limpeza e manutenção dos equipamentos. O telefone 0800-081-6060 já está disponível de 2ª a 6ª das 8h às 17h.

Carlos Maciel

FSB COMUNICAÇÕES

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog