Com torneios ainda a disputar, Djokovic tem recorde de prêmios

Em uma temporada em que acumula recordes, o sérvio Novak Djokovic garantiu mais um com a conquista do Aberto dos EUA. O título em Nova York lhe rendeu US$ 1,8 milhão, mais US$ 500 mil de bônus pelo segundo lugar no US Open Series (série de torneios na América do Norte que culmina com o Grand Slam americano).

Assim, Djokovic, 24, já soma neste ano US$ 10,6 milhões (cerca de R$ 18,16 milhões), valor superior às melhores temporadas completas de Roger Federer e Rafael Nadal. Eles faturaram em 2007 (Federer) e em 2010 pouco menos do que US$ 10,2 milhões.

Timothy A. Clary/France Presse
O sérvio Novak Djokovic com a taça em visita ao Empire State, em Nova York
O sérvio Novak Djokovic com a taça em visita ao Empire State, em Nova York

Antes da atual temporada, o sérvio acumulava em sete anos de carreira como profissional US$ 20,26 milhões e ocupava a nona posição entre os mais bem premiados na história.

Com o crescimento de mais de 50% em seu faturamento em quadra, Djokovic já se aproximou do americano Andre Agassi, que ocupa o quarto posto, com US$ 31,15 milhões. Federer lidera a lista, com mais de US$ 64,1 milhões, seguido por Nadal (US$ 43,64 milhões) e pelo americano Pete Sampras (US$ 43,28 milhões).

Enquanto Nadal utilizou um jato fretado pela federação espanhola para viajar para Córdoba, Djokovic passou o dia de terça-feira posando para fotos no Empire States, em Nova York.

Os finalistas defendem seus países nas semifinais da Copa Davis, a partir de sexta-feira. Djokovic viaja para Belgrado para enfrentar a Argentina, e a Espanha recebe a França.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog