Comandante-geral da Polícia Militar do Rio pede exoneração

O tenente-coronel Mário Sérgio Duarte, comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, pediu exoneração do cargo nesta quarta-feira (28). O pedido foi aceito pelo secretário de Segurança Públicas, José Mariano Beltrame, de acordo com nota divulgada pela secretaria.

Na nota, o secretário lamenta a saída do comandante-geral e esclarece que tem por política conceder autonomia às chefias das polícias para que em nome da eficiência, possam buscar as melhores medidas administrativas e técnicas para ajudar na implementação da política de segurança, que nos últimos anos vem ajudando a reduzir os índices de violência no estado.

Beltrame diz ainda que o tenente-coronel Mário Sérgio, que se encontra de licença médica, “pediu, voluntariamente e, em caráter irrevogável, para deixar o comando da Polícia Militar”. Segundo a nota, o nome do novo comandante-geral será divulgado brevemente.

Os recentes episódios envolvendo a Polícia Militar deixaram o coronel Mário Sérgio Duarte desgastado. Esta semana, o ex-comandante do Batalhão da Maré, o tenente-coronel Cláudio Oliveira, foi preso acusado de ser o mandante da morte da juíza Patrícia Acióli. Alem dele, nove policiais militares estão presos por determinação da Justiça, acusados de participação direta ou indireta no crime.

Na segunda-feira (26), o comando da Polícia Militar pediu o fechamento da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Maré, devido aos frequentes confrontos entre policiais do batalhão e traficantes de drogas da região.

O pedido de fechamento da UPA foi feito pelo então comandante da unidade, tenente-coronel Cláudio Oliveira ao Comando-Geral da corporação. Um dia após a prisão de Cláudio Oliveira, a unidade foi reaberta pela Secretaria Estadual de Saúde.

Fonte: Agência Brasil

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog