Corinthians e São Paulo brigam para ser o campeão de bilheteria

Corinthians e São Paulo, os arquirrivais que se acostumaram a brigar por tudo nos últimos anos, têm agora uma nova batalha para travar.

Desta vez, a disputa não tem ligação direta com títulos, estádios, bastidores da política do futebol ou estreia de jogadores badalados, mas sim com as bilheterias.

Zanone Fraissat – 21.set.2011/Folhapress
Torcedores no jogo São Paulo 0 x 0 Corinthians no estádio do Morumbi
Torcedores no jogo São Paulo 0 x 0 Corinthians no estádio do Morumbi

Os clubes paulistanos ocupam as duas primeiras posições no ranking de quem mais leva torcedores aos estádios da primeira divisão.

Com média de 27.539 pagantes em cada um dos 14 jogos em que atuou como mandante, o Corinthians é o líder de público deste Brasileiro. O São Paulo, que tem 24.532 torcedores a cada partida em casa, aparece na sequência.

Há sete rodadas, a diferença, que hoje é de cerca de 3.000 torcedores, era mais de três vezes maior e quase alcançava a casa de 10 mil.

Foi nesse período que o São Paulo conseguiu aproveitar seu maior trunfo para deixar para trás o rival na venda de ingressos: o Morumbi.

Com o Maracanã e o Mineirão impossibilitados de receberem jogos devido às obras para a Copa-2104, a arena é o palco do Brasileiro com maior capacidade de público.

O estádio encheu na estreia de Luis Fabiano, contra o Flamengo, há nove dias, quando registrou 63.871 pagantes. Também esteve perto da lotação no milésimo jogo de Rogério pelo clube (60.514) e registrou a venda de 44.950 entradas contra o Corinthians.

Tratam-se dos três melhores públicos deste Brasileiro.

Enquanto isso, o líder das bilheterias não consegue ultrapassar a barreira dos 36 mil torcedores por atuar no acanhado Pacaembu seu recorde é de 35.392, ante o Flamengo, na 22ª rodada.

Se leva desvantagem na matemática fria do número de assentos disponíveis, o Corinthians ganha na fidelidade do público que costuma acompanhar suas partidas.

Apesar de ter o ingresso médio mais caro do país (R$ 33,90), o time teve menos de 25 mil pagantes em apenas quatro jogos em casa. O São Paulo, pelo contrário, só conseguiu alcançar a marca nas três partidas especiais.

“Como o São Paulo tem um estádio grande, o torcedor pode escolher a qual partida assistirá”, declarou o vice de marketing Julio Casares.

O cartola também lembrou que o clube do Morumbi pouco atuou como mandante às 16h. Foram quatro jogos no horário considerado por ele o ideal para atrair torcedores, contra sete do Corinthians.

Como estratégia para alavancar o público na reta final do Brasileiro e ficar com a maior média, o São Paulo irá solicitar que todas as partidas possíveis sejam transferidas para esse horário.

O pedido foi acatado para o milésimo jogo de Rogério e para o confronto contra o Internacional, amanhã.

“Às vezes, não dá por causa da TV. Mas queremos deixar os jogos mais atrativos para o torcedor. Essa é uma iniciativa”, declarou Casares.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog