Corinthians sofre para achar um goleador em 2012


SPFW 2012
O Corinthians de 2012 é consistente, combativo e toma poucos gols. Mas ainda corre para acertar o ataque e encontrar seus goleadores.

O empate contra o Cruz Azul, anteontem, pela Libertadores, escancarou o problema ofensivo do time de Tite.

Léo Pinheiro – 15.mar.2012/Folhapress
Liedson desembarca em Guarulhos após empate em 0 a 0 contra o Cruz Azul no México
Liedson desembarca em Guarulhos após empate em 0 a 0 contra o Cruz Azul no México

Além de ter o pior ataque entre os quatro maiores clubes paulistas –e um dos piores entre os times da primeira divisão do Nacional–, o Corinthians sofre com a falta de artilheiros. Nesta temporada, o goleador é o meia Danilo, com apenas três tentos.

O desempenho dos três maiores rivais dá inveja. Além de goleadores, os artilheiros de Palmeiras, São Paulo e Santos são carregados nos braços dos torcedores.

O palmeirense Barcos marcou oito e ganhou coreografia na arquibancada. Neymar anotou nove vezes, com direito a noite de placas. E Luis Fabiano, enfim, parece caminhar para sua boa forma.

O Corinthians esperou Adriano por 12 meses, não teve retorno e o mandou embora. Liedson, um dos responsáveis pelo recente título brasileiro, ainda não balançou as redes em jogos oficiais neste ano. Outros avantes, Emerson, Elton e Willian anotaram apenas dois gols cada um.

“O time teve desempenho para vencer. Talvez por infelicidade, ou maior treinamento, precisa traduzir esse volume maior em gols”, declarou Tite, depois do comemorado empate na Cidade do México.

Basta ver que as melhores chances daquela partida foram desperdiçadas nos pés do volante Paulinho.

Segundo o Datafolha, o time é um dos que menos chutam a gol no Paulista: média de 12,5 por partida. Até acerta a meta –42,4% de pontaria no Estadual. Mas acertar o alvo não significa, necessariamente, marcar gol.

E, quando se olha só para a Libertadores, a pontaria corintiana cai para 32,6%. Contra o Cruz Azul, só uma bola foi em direção à meta.

O clube agora pensa em como resolver esse problema. Para Tite, a solução continua nos ombros de Liedson, que pode até parar no banco de reservas, mas não agora.

“Cada atleta vai construindo, e não vejo este momento ainda [de tirá-lo do time]. Pode acontecer com qualquer jogador, mas com o Liedson ainda não”, afirmou.

Roberto de Andrade, diretor de futebol do Corinthians, já avisou que vai atrás de um “grande atacante” para substituir Adriano, que ainda negocia sua saída. O clube deve cerca de R$ 1,8 milhão pelos meses restantes do contrato, que foi interrompido a quatro meses do fim.

Tempo, o Corinthians tem. As seis rodadas restantes da primeira fase do Paulista só vão confirmar sua classificação para a segunda etapa e seus jogos decisivos. Na Libertadores, uma vitória na próxima quarta, no Pacaembu, contra o mesmo Cruz Azul, dará ao clube a liderança do grupo a duas rodadas do final da primeira fase.

“Nossa equipe precisa de maturidade para enfrentar grandes jogos e jogar dentro e fora de casa da mesma forma. Isso é crescimento profissional”, destaca Tite.

Fonte: Da Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog