De gravata italiana, Matarazzo viaja de trem para viabilizar candidatura

O secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Andrea Matarazzo, saiu de seu gabinete para encarar quase quatro horas extras de trabalho.

Naquela quinta-feira, o expediente oficial já estava encerrado. Ele deixou a sala espaçosa do complexo cultural da Estação Júlio Prestes, no centro de São Paulo, rumo à Estação da Luz, a pé. Com terno azul marinho, gravata italiana e abotoaduras de ouro nos punhos da camisa, atravessou o deteriorado centro da cidade.

Seu destino final era Cangaíba, na zona leste da capital.

  Eduardo Anizelli/France Presse  
 secretário de Cultura e pré-candidato do PSDB à Prefeitura, Andrea Matarazzo, no trem sentido Zona Leste***
O secretário de Cultura e pré-candidato do PSDB à Prefeitura, Andrea Matarazzo, no trem sentido Zona Leste

No trem, Matarazzo fez uma baldeação no Brás. Nas duas viagens, vagões lotados. “O segredo é não correr para sentar. O empurra-empurra é para pegar um banco”, disse à Daniela LIma, em reportagem publicada na Folha.

 Matarazzo é um dos quatro pré-candidatos do PSDB à sucessão do prefeito Gilberto Kassab. Disputa com José Aníbal, Bruno Covas e Ricardo Trípoli o apoio dos militantes tucanos.

Há dois meses passou a usar com regularidade trem e metrô. Diz que foge do trânsito e chega mais rápido aos bairros que visita para pedir apoio nas prévias do PSDB, previstas para janeiro.

  Eduardo Anizelli/Folhapress  
Matarazzo caminha para a estação da Luz, onde pega trem para Zona Leste **
Matarazzo caminha para a estação da Luz, onde pega trem para Zona Leste

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog