Deputada que acusa governador do DF é cria de Joaquim Roriz

Lula Marques/Folhapress

Deputada que acusa governador Agnelo Queiroz (PT) é cria de Joaquim Roriz (PSC)

Celina Leão, a deputada distrital que acusa o governador Agnelo Queiroz (PT) de receber propina de um lobista, entrou para a política do Distrito Federal pela porta do gabinete de Joaquim Roriz, ex-governador da capital e inimigo político do petista.

Ela foi secretária de Juventude na última gestão de Roriz, em 2006. Depois, foi chefe de gabinete de Jaqueline Roriz, filha do ex-governador, que foi deputada distrital na legislatura passada.

Governador do DF se diz vítima de ‘armação criminosa’
Agnelo Queiroz admite ter recebido dinheiro de lobista
Suspeita no Esporte envolve cúpula do governo do DF

Pelas mãos da família Roriz, Celina se elegeu com menos de 8.000 votos no ano passado. Responde a inquérito no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob acusação de ameaçar cortar benefícios sociais de quem não votasse nela –sua assessoria diz não haver provas do suposto crime.

Hoje, Jaqueline é deputada federal. Ela e Celina, que antes se apresentavam como “amigas”, não se falam mais.

O rompimento definitivo foi em março, quando Jaqueline quase foi cassada após aparecer em vídeo recebendo dinheiro das mãos de Durval Barbosa, o delegado que delatou o mensalão do DEM e derrubou o ex-governador José Roberto Arruda.

O clã Roriz ficou ressentido com Celina, que não defendeu a ex-chefe e só falou sobre o escândalo para contestar acusação de que teria se beneficiado de esquema montado na administração de Samambaia, cidade satélite do DF e reduto dos Roriz.

Celina disse que as denúncias foram plantadas pelo PT em retaliação à sua oposição ao governo de Agnelo.

Após o rompimento com o clã Roriz, a deputada distrital trocou o PMN, comandado por Jaqueline, pelo PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Ela disse que precisava alçar voo próprio, mas ainda mantém contato com figuras que foram próximas à família que a lançou na política.

Um de seus principais assessores foi funcionário da ex-deputada Eurides Brito, secretária de Educação de Roriz, flagrada escondendo dinheiro do mensalão do DEM.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog