Deputados italianos trocam socos durante votação de reformas

Deputados italianos trocaram socos no Parlamento nesta quarta-feira, durante uma sessão tensa para votação de um programa de reformas.

Pelo menos dois deputados da Liga Norte, que integra a coalizão de centro-direita do governo, lutaram com membros do partido da oposição FLI, de Gianfranco Fini. Dois deputados agarraram a garganta um do outro enquanto outros parlamentares corriam para separá-los.

Depois da briga, a sessão parlamentar foi suspensa por vários minutos. A confusão começou por causa de declarações sarcásticas feitas na televisão por Fini, alegando que a esposa do líder da Liga, Umberto Bossi, havia se aposentado aos 39 anos de idade.

Giuseppe Lami/Ansa /Reuters
Claudio Barbato (esq.), do partido opositor FLI, segura o pescoço de Fabio Ranieri (dir.), da Liga Norte
Claudio Barbato (esq.), do partido opositor FLI, segura o pescoço de Fabio Ranieri (dir.), da Liga Norte

Bossi se recusou a fazer mais do que leves concessões às medidas propostas pelo primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, por causa das objeções da Liga a reformar o sistema previdenciário da Itália como parte das reformas exigidas por líderes europeus.

A Liga rejeita qualquer mudança que eleve a idade mínima de aposentadoria de 65 para 67 anos, conforme propõem várias instituições no país, inclusive o Banco da Itália.

Berlusconi participa da cúpula da União Europeia em Bruxelas nesta quarta-feira com uma carta de intenções sobre as reformas para incentivar o crescimento estagnado e reduzir a dívida da Itália.

Críticos, entretanto, entre eles banqueiros italianos, dizem ser necessárias garantias mais substanciais.

CRISE NA ITÁLIA

No domingo, a União Europeia pressionou a Itália por temer que o país, muito endividado e com crescimento anêmico, ponha em perigo a zona do euro, e pediu a Berlusconi para que colocasse apresentasse medidas concretas antes da reunião europeia desta quarta-feira.

Na segunda-feira, Berlusconi convocou uma reunião emergencial do seu gabinete para tentar superar a oposição de aliados às reformas econômicas exigidas por sócios europeus do país.

O governo italiano, entretanto, não conseguiu chegar a um acordo sobre a reforma da previdência durante a reunião.

Líderes da União Europeia estão cada vez mais preocipados com a reação do governo italiano à crise financeira, que pode ameaçar toda a zona do euro caso Roma não consiga controlar suas finanças e recuperar a confiança dos mercados.

DA REUTERS, EM ROMA

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog