Dilma chega a NY para reunião com Obama e Assembleia da ONU

A presidente Dilma Roussef chegou na manhã deste domingo a Nova York, onde será a primeira mulher a abrir uma sessão da ONU, na quarta-feira (21), ao discursar na 66ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Com duração de cinco dias, a viagem inclui ainda uma reunião com seu colega americano, Barack Obama, e outros quatro chefes de Estado.

Segundo a Agência Brasil, Dilma não tem compromissos marcados para o domingo, dia em que pretende descansar e se preparar para a agenda intensa que começa na segunda-feira (19) e termina na quinta-feira (22), incluindo encontros privados com os líderes dos EUA, França, Reino Unido, México e Nigéria.

  Roberto Stuckert Filho/Presidência  
A presidente Dilma Rousseff é cumprimentada na chegada ao Hotel Waldorf Astoria, onde ficará hospedada
A presidente Dilma Rousseff é cumprimentada na chegada ao Hotel Waldorf Astoria, onde ficará hospedada

Na segunda-feira Dilma conversa com Michelle Bachellet, ex-presidente do Chile e chefe da agência ONU Mulher, para discutir esforços conjuntos que podem ser desenvolvidos para incentivar a participação das mulheres em ações políticas e institucionais no mundo.

Também no dia 19, a presidenta participa da reunião sobre doenças crônicas não transmissíveis cujo objetivo é discutir a prevenção e o controle no mundo com foco nos desafios sociais e econômicos.

Na terça, encontra-se com Obama para dar continuidade aos assuntos já discutidos em março, quando o líder americano esteve no Brasil.

Mais tarde, receberá o prêmio Woodrow Wilson para Serviços Públicos, concedido pelo instituto Woodrow Wilson International Center for Scholars, que já foi outorgado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à médica e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns (morta em 2010).

Com o francês Nicolas Sarkozy conversará sobre a crise econômica mundial, os impactos dos conflitos nos países muçulmanos, além de questões sociais envolvendo saúde e combate à pobreza.

A presidente ainda participará dos debates do grupo denominado Governo Aberto –que engloba 60 países que se comprometem a discutir e executar políticas públicas transparentes.

ONU

Na quarta-feira (21) o dia será dedicado à abertura da 66ª Assembleia Geral da ONU. Segundo assessores, Dilma pretende, em seu discurso, mencionar os efeitos da crise econômica internacional, a preocupação com os conflitos nos países muçulmanos, a necessidade de adotar medidas que levem ao desenvolvimento sustentável –lembrando a Conferência Rio+20 que ocorrerá em 2012 no Rio de Janeiro– e a defesa da reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O primeiro discurso corresponde por tradição ao Brasil e esta será a primeira vez que o encontro dos líderes mundiais será inaugurado por uma mulher, destacou o porta-voz.

Na quinta-feira (22) a presidenta retorna para o Brasil, mas antes conversará sobre uma das principais preocupações da comunidade internacional: a segurança nuclear.

As atenções se redobraram depois dos acidentes radioativos na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, em março deste ano, no Japão. Também no dia 22, Dilma conversará sobre a necessidade de os líderes mundiais se comunicarem antes de tomar decisões e partir para a ação –a denominada diplomacia preventiva.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog