Dilma nega crise com ministro do Trabalho

A presidente Dilma Rousseff se irritou nesta quinta-feira (10) ao ser questionada sobre a situação do ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), e negou que ele passe por uma crise. “Não tem crise com o ministro do Trabalho”, disse.

Lupi pediu desculpas públicas hoje, em audiência na Câmara dos Deputados, pelas declarações dadas no começo da semana de que só deixaria o governo “abatido a bala”. “Presidenta Dilma, desculpe se fui agressivo, não foi minha intenção: eu te amo”, declarou ele.

Em sessão na Câmara, Lupi critica imprensa e diz amar Dilma
Irritado, Lupi rebate críticas a Lula e diz adorar o ex-presidente
Ministro do Trabalho se retrata após bronca de Dilma
Líder do governo diz que houve ‘excesso de verbalização’ de Lupi
Senador do PSDB pede em plenário que Dilma demita Lupi
Lupi diz que denúncias ‘vazias e irresponsáveis’ estão superadas

Ele ainda afirmou gostar do embate e admitiu que exagerou. “Às vezes exagero. Peço desculpas públicas porque tenho humildade para isso”, disse. “São 200 dando tiros na gente, falei nesse sentido. Posso ser tudo menos uma pessoa deselegante, despreparada. Peço desculpas públicas. Desde que entrei no ministério tem gente querendo me derrubar. Tem até bolsa de aposta”, reiterou.

A resposta de Dilma aconteceu durante cerimônia de sanção do Supersimples. “Se eu não me engano, tinha um líder gaúcho, que eu não vou dizer qual, antigo, que dizia o seguinte: o passado simplesmente passou, gente”.

Reportagem da revista “Veja” desta semana afirma que três servidores e ex-servidores do Ministério do Trabalho estavam envolvidos num esquema de cobrança de propinas que revertia recursos para o caixa do PDT, partido de Lupi, que está afastado temporariamente da presidência da sigla por ser ministro.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog