Dilma tomará medidas para defender indústria, dizem empresários

A presidente Dilma Rousseff avisou nesta quinta-feira (22) durante reunião com um grupo de 28 grandes empresários do país que deve anunciar nas próximas semanas medidas para aumentar a competitividade da indústria brasileira.

De acordo com relato de empresários, Dilma disse que não vai proteger, mas defender o setor produtivo nacional.

Após ouvir as demandas e reivindicações do setor, Dilma encomendou ao ministro Guido Mantega (Fazenda) um plano de ações.

Dilma vai à Índia participar de reunião dos países emergentes
Governo deve propor defesa da indústria em reunião no Planalto
Dilma chama empresários para cobrar investimentos

Sérgio Lima/Folhapress
Dilma participa no Palácio do Planalto de reunião coom um grupo de 28 grandes empresários do país
Dilma participa no Palácio do Planalto de reunião coom um grupo de 28 grandes empresários do país

Segundo os empresários, a expectativa é que as medidas estejam prontas até o final da próxima semana, quando ela retorna de viagem para Nova Déli, na Índia, onde participará, de reunião dos Brics (bloco que reúne os países emergentes –Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Entre as medidas estão a desoneração da folha de pagamento para setores da indústria. Um ponto da agenda empresarial é a reclamação de que o real valorizado leva a uma invasão de importados no país.

“Ela determinou ao ministro que elabore medidas com foco de compensar o roubo de competitividade e pretende anunciar as medidas quando voltar da índia”, disse o presidente da Fiesp (Federação da Indústria de São Paulo) Paulo Skaf.

“Ela não vai proteger, mas vai defender”, disse Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza.

No encontro, que durou mais de três horas, Luiza apresentou um estudo mostrando um aumento de 25% na venda dos produtos eletrodomésticos da linha branca nos últimos quatro meses após a isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

A empresária disse que não pediu a prorrogação, mas que o governo ficou muito satisfeito com o resultado da medida. “Isso é muito importante porque é uma questão social.”

Luiza disse ainda que a presidente reiterou o compromisso com a redução da taxa de juros. “Essa é a vontade dela para os próximos anos.”

Os empresários disseram que a presidente estava bastante descontraída e “ouviu muito”. Dilma não fez nenhuma referência à crise política que passa com a própria base aliada no Congresso.

Fonte: Da Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog