Dólar sobe pela primeira vez em 8 dias e fecha a R$ 1,76

A taxa de câmbio doméstica teve o seu primeiro dia de alta, interrompendo uma rara sequência de oito dias de desvalorização.

Usado para operações de comércio exterior, o dólar comercial foi negociado por R$ 1,769, em forte alta de 2,25% sobre o fechamento de sexta-feira. Esse preço está próximo da taxa projetada para dezembro (R$ 1,75) pelo mercado financeiro, conforme a edição do boletim Focus publicada hoje.

Para turistas, o dólar foi vendido por R$ 1,860 (estável) e comprado por R$ 1,680 nas corretoras paulistas.

Horário de verão faz BM&FBovespa abrir mais tarde
Mercados esperam por atitudes concretas sobre crise europeia
Mercado eleva previsão para inflação em 2012 e reduz para PIB
Grécia e o euro vivem sua semana mais crucial, diz premiê grego

Ainda operando, a Bovespa registra perdas de 2,39%, aos 53.714 pontos (pelo índice Ibovespa). O giro financeiro é de R$ 6,9 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York cai 2,09%.

Os profissionais do setor financeiro aguardam a concretização das medidas sinalizadas por Alemanha e França para conter a crise das dívidas soberanas.

Conforme já apontou o presidente francês Nicolas Sarkozy, os representantes da UE devem apresentar até o dia 23, há poucos dias da reunião de cúpula do G20 (grupo dos países mais desenvolvidos), um conjunto coordenado de propostas, de modo a evitar um calote descontrolado pela Grécia e problemas ainda mais dramáticos para o setor bancário.

Como salientam analistas, os agentes financeiros adotaram uma atitude de “esperar para ver”, em uma combinação de “fé” com o sentimento de cautela predominante nos últimos meses.

FOCUS E COPOM

Depois de amanhã, o Banco Central anuncia a nova taxa básica de juros do país, hoje em 12% ao ano. Boa parte dos analistas do setor financeiro projeta um ajuste para 11,5%.

O boletim Focus, elaborado pelo BC, revela, no entanto, que os analistas continuam a revisar para cima suas projeções para a inflação de 2012 –que é o alvo real da reunião desta semana.

A estimativa do IPCA para este ano ficou inalterada em 6,52% pela terceira semana, enquanto para 2012, o percentual subiu de 5,59%, na semana passada, para 5,61% nesta semana.

Na BM&F, onde os grandes agentes financeiros projetam as taxas de juros para 2012 e 2013, os principais contratos mostraram poucas alterações. O juro projetado para janeiro de 2012 foi mantido em 11,17%. E para janeiro de 2013, a taxa projetada permaneceu em 10,55%.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog