Donos de bordéis relatam a revista orgia com ex-chefe do FMI

Um casal que é sócio de vários bordéis na Bélgica detalhou, em entrevista à edição espanhola da revista Vanity Fair, orgias da qual teria participado o ex-chefe do FMI, o francês Dominique Strauss-Kahn, inocentado no ano passado da acusação de violentar sexualmente a camareira de um hotel em Nova York.

Béatrice Legrain e Dominique Alderweireld, conhecidos como Madame Béa e Dodo La Saumure, contam à publicação, que chega às bancas nesta quinta-feira (22), sobre uma orgia que teria ocorrido em 6 de março de 2009, no restaurante parisiense L’Aventure, da qual teriam participado junto com algumas de suas “meninas”, Strauss-Kahn e outros cinco homens.

O ex-chefe do FMI Dominique Strauss-Kahn chega à polícia nesta terça-feira (21) em Lille, norte da França (Foto: AP)O ex-chefe do FMI Dominique Strauss-Kahn durante depoimento à polícia em 21 de fevereiro, em Lille, norte da França (Foto: AP)

“Tenho em minha cabeça a imagem de Strauss-Kahn vestido só com uma camisa branca. Ele tinha tirado a calça e manteve quatro relações sexuais seguidas com uma menina a poucos metros de nós”, conta Béa à Vanity Fair. Segundo a cafetina, a festa ocorreu após um almoço, no sótão do restaurante.

“A festa durou no total uma hora e meia. As relações sexuais de Strauss-Kahn com a garota não mais que meia hora. Ela me contou que ele tinha tomado Viagra, porque estava atacado, que estava em forma”, diz Béa, que também conta que a prostituta recebeu 500 euros pelo programa e deu até mesmo detalhes sobre o órgão sexual do ex-chefe do FMI.

“Me levantei para ir ao banheiro, Strauss-Kahn me seguiu e no corredor, me agarrou e me disse: ‘É você que eu quero!’”, continua Madame Béa, segundo a qual por “60 euros” é possível contratar a mesma prostituta que participou da festa.

Segundo o companheiro e sócio de Béa, Dodo La Saumure, uma ligação telefônica interceptada pela polícia falando sobre esta orgia detonou o caso Carlton, uma investigação iniciada em Lille, no norte da França, em que Strauss-Kahn é acusado de “cumplicidade com a prostituição”.

“É evidente que Dominique Strauss-Khan é viciado em sexo”, diz o cafetão, que também é um dos acusado no caso Carlton.

Fonte: Do G1, em São Paulo

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog