Em Anápolis e Goianira, Dilma visita obras de ferrovia


Em sua primeira visita a Goiás após ser eleita, a presidente Dilma Rousseff, ao lado do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, visitou neste quinta-feira (15) as obras da Ferrovia Norte-Sul, executada pela Valec – Engenharia, Construções e Ferrovias, empresa pública vinculada ao ministério.

Paulo Passos é um dos motivos da rebelião do PR, que, na quarta (14), anunciou que deixaria sua posição de independência e iria para a oposição. Líderes do PR pleiteiam a indicação do novo ministro dos Transportes desde a saída de Alfredo Nascimento do cargo, em julho do ano passado. Embora filiado ao PR, Passos não é reconhecido pelos senadores como uma indicação do partido.

Antes de visitar a obra, Dilma chegou à base aérea de Anápolis e foi recepcionada pelo governador, Marconi Perillo, e pelo prefeito Antônio Gomide. A presidente percorreu um trecho de seis quilômetros da ferrovia em um vagão e visitou dois túneis que estão sendo construídos no perímetro urbano da cidade.

Ao lado do ministro dos Transportes, Paulo Passos, a presidente Dilma visitou obras da Valec em Goiás (Foto: Priscilla Mendes / G1)Ao lado do ministro dos Transportes, Paulo
Passos, a presidente Dilma visitou obras da Valec
em Anápolis (Foto: Priscilla Mendes / G1)

De Anápolis, a presidente sobrevoou a ferrovia até Goianira, por onde passa a extensão Sul, trecho de 681 quilômetros que liga Ouro Verde (GO) a Estrela D’Oeste (SP).

A Ferrovia Norte-Sul, de acordo com o Ministerio dos Transportes, terá 2.255 quilômetros de extensão entre Açailândia e Estrela D’Oeste, passando pelos estados de Tocantins, Goiás, Minas Gerais e São Paulo.

O custo previsto é de R$ 7,258 bilhões. Atualmente, ainda segundo a pasta dos Transportes, a obra emprega 5.130 trabalhadores.

Goianira
Após vistoriar obras em Anápolis, Dilma foi para Goianira, a 22 quilômetros de Goiânia, por volta das 12h40. Por volta das 13h20, a presidente reuniu-se com empresários do consórcio responsável pela construção da ferrovia. Em seguida, participará de uma almoço para 60 pessoas, entre empreiteiros e funcionários.

A presidente Dilma Rousseff durante entrevista em Goianira (GO), ao lado do ministro Paulo Passos (esq.) e do governador Marconi Perillo (PSDB) (dir.) (Foto: Gabriela Lima / G1)
A presidente Dilma Rousseff durante entrevista
em Goianira (GO), ao lado do ministro Paulo
Passos (esq.) e do governador Marconi Perillo
(PSDB) (dir.) (Foto: Gabriela Lima / G1)

De acordo com dados do Ministério dos Transportes, 95% da obra está concluída. O término da obra já foi adiada por diversas vezes. Até o início deste ano, a previsão do governo federal era entregá-la em 20 de julho. Mas com as mudanças na diretoria da Valec, estatal responsável pelo projeto, o prazo não está definido.

Depois do encontro com empresários, Dilma conversou com a imprensa, mas evitou falar de temas alheios à obra da ferrovia.

“Se eu cair na besteira de falar alguma coisa que não seja dessa obra, vocês não põem a obra. […] Eu tenho hoje um objetivo, eu quero alertar o Brasil que nós voltamos a investir em ferrovia.Ai de mim se eu falar outra coisa. Vocês não me perdoam.”

Fonte: Do G1, em Anápolis e em Goianira

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog