Em NY, Obama lê passagem da Bíblia em cerimônia às vítimas do 11/9

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participa na manhã deste domingo da cerimônia em memória das vítimas dos ataque terroristas no World Trade Center, em Nova York.

Acompanhe ao vivo os eventos dos 10 anos do 11/9
Confira em tempo real o minuto a minuto do 11/9
Leia cobertura completa dos 10 anos do 11/9
Veja galeria de fotos das celebrações dos 10 anos
Jornalistas relembram cobertura do 11/9; veja

Após visitar o memorial, onde duas fontes foram construídas nos locais onde ficavam os prédios, Obama fez um minuto de silêncio às 8h46 (9h46 de Brasília) para marcar o momento em que o avião da American Airlines atingiu a torre norte, há exatos dez anos.

David Handschuh/France Presse
Presidente Obama, sua mulher, Michelle, o ex-presidente Bush e sua mulher, Laura, participam da cerimônia em Nova York
Presidente Obama, sua mulher, Michelle, o ex-presidente Bush e sua mulher, Laura, participam da cerimônia em Nova York

Atrás de um vidro à prova de balas, o presidente Obama leu o salmo 46 da Bíblia, que fala sobre Deus ser uma força de refúgio e força.

“Por isso não temeremos, mesmo que a terra seja removida, e mesmo que as montanhas sejam levadas para o meio do mar”, leu Obama, que participará de cerimônias em Shanksville (na Pensilvânia) e em Washington, onde os outros aviões colidiram.

Às 9h03 (10h03 de Brasília), os presentes fizeram um segundo momento de silêncio, com o toque de um sino de prata que marcou o momento em que o voo 175 da United Airlines bateu na torres sul.

Relembre, minuto a minuto, os ataques de 11 de Setembro

Neste momento, George W. Bush, presidente à época dos atentados, subiu no palco de vidro. Ao contrário de Obama, ele foi recebido com uma tímida celebração.

Ele fez um breve discurso e citou uma carta escrita pelo presidente Abraham Lincoln para uma viúva durante a Guerra Civil americana.

“Eu sinto quão fracas e desnecessárias devem ser quaisquer palavras minhas para tentar acalmá-la do luto de uma perda tão grande, mas eu não posso evitar de dar a você o consolo que pode ser encontrado no agradecimento de uma república que eles morreram para proteger”, leu o republicano, que viu sua popularidade subir após os ataques.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog