Em voo para o México, papa Bento 16 faz críticas ao marxismo

Efe

O papa Bento 16 –que está a caminho do México, onde inicia um giro pela América Latina que inclui visita a Cuba– afirmou a jornalistas durante o voo que “hoje é um tempo no qual a ideologia marxista não responde mais à realidade”.

O papa partiu na manhã desta sexta-feira para o México a bordo de um Boeing 777 da Alitalia, que saiu do aeroporto de Fiumicino, em Roma. O avião decolou às 9h50 (5h40 de Brasília) e tem aterrissagem prevista para as 16h30 (19h30 de Brasília).

Segundo ele, se isso acontece e “se não se pode construir um tipo de sociedade [baseada nesta ideologia], é preciso encontrar novos modelos, com paciência, de modo construtivo”.

A declaração foi dada como resposta a um jornalista que o questionou sobre a atualidade das palavras de João Paulo 2º, em 1998, quando pediu que “Cuba se abra ao mundo e o mundo se abra a Cuba”.

O pontífice também disse que “é óbvio que a Igreja está sempre ao lado da liberdade, liberdade de consciência, liberdade de religião”.

“Me sinto em absoluta continuidade com as palavras de João Paulo 2º que ainda são atualíssimas. [Os cubanos] inauguraram um caminho de colaboração construtiva, um caminho que é longo, que exige paciência mas que segue para frente”, observou.

Sobre o cenário de violência no México, Bento 16 afirmou que “devemos fazer o possível contra este mal destrutivo para a sociedade e nossa juventude”.

“A Igreja não é um poder político, não é um partido, mas é uma realidade moral, um poder moral. tarefa da Igreja é de educar a consciência, a responsabilidade moral, desmascarar a idolatria do dinheiro que escraviza o homem, desmascarar o mal e as falsas promessas, desmascarar as mentiras e as fraudes que estão por trás das drogas”, declarou o papa.

DA ANSA

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog