Engasgada pela perda do ouro, Fabiana enaltece feito histórico

Fabiana Beltrame conquistou a primeira medalha da história do remo feminino nos Jogos Pan-Americano. Prata na categoria skiff individual nesta quarta-feira, ela fez questão de ressaltar o ineditismo da conquista.

“Fico meio engasgada com a perda da medalha de ouro, mas, por outro lado, fico feliz de ter participado de uma conquista inédita para o remo do país”, disse ao site do COB. “A medalha é de prata, mas é bonita.”

Wagner Carmo /Inovafoto/COB
Fabiana Beltrame durante a prova de remo, no Lago Guzman, no Pan-2011
Fabiana Beltrame durante a prova de remo, no Lago Guzman, no Pan-2011

Antes de Fabiana, o Brasil somava 41 medalhas no remo, mas todas conquistadas pela equipe masculina. No Pan-2011, a única medalha do remo havia sido da dupla João Hildebrando e Alexis Árias Mestre, na categoria dois sem timoneiro.

Fabiana já tinha feito história no Mundial de remo, em Bled (Eslovênia), em setembro último, quando foi ouro –foi primeira de um remador brasileiro em campeonatos mundiais. Ela, contudo, não soube explicar o resultado em Guadalajara.

“Talvez tenha tido um pico de rendimento lá [no Mundial], que é seguido por momentos de queda, antes de voltar ao topo. Talvez tenha sido isso que aconteceu hoje”, disse.

O tempo no Mundial, quando foi ouro, foi de 7min44s58 contra 7min55s42 do Pan.

Agora, ela vai focar nos Jogos de Londres-2012, competição que ainda precisa se classificar.

Com a folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog