Especialista diz que Michael Jackson era viciado em analgésicos

Nesta quinta-feira, quarto dia da defesa do médico Conrad Murray, acusado de homicídio culposo de Michael Jackson, o médico Robert Waldman, especialista em dependência química, foi chamado para depor.

Os registros médicos do cantor, que foram expostos durante o julgamento, indicam que, ele tomava com frequência o analgésico Demerol, poucos meses antes de morrer, em visitas ao consultório do dermatologista Arnold Klein.

Waldman disse haver evidências de que Jackson era dependente da droga, cujos efeitos colaterais incluem ansiedade e insônia.

De acordo com os registros médicos, Jackson tomou 900 miligramas de Demerol, em apenas três dias, em maio de 2009.

A defesa de Murray ainda tenta implicar que Jackson ingeriu, por conta própria, doses extras de propofol, medicamento que causou sua morte.

Robyn Beck/Efe
Imagem do corpo de Michael Jackson, que foi divulgada durante o julgamento
Imagem do corpo de Michael Jackson, que foi divulgada durante o julgamento

DA REUTERS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog