Exu: ONG Caatinga divulga campanha contra as cisternas do Água para Todos

A ONG Caatinga divulgou nesta terça (20), uma campanha começando pela cidade de Exu, no sertão do araripe, contra as cisternas plásticas que estão sendo distribuídas através do programa federal Água para Todos. Pelo visto, essa questão ainda vai render muito, pois os coordenadores da ONG preferem nem chamar de cisternas os equipamentos, já que se referem aos mesmos como “caixas de plástico”.  Confira o texto na íntegra:

Depois que o Governo Federal iniciou a distribuição das cisternas de PVC ou “caixas de plástico”, através do Programa Água para Todos, as diversas organizações que fazem a Articulação do Semi-Árido Brasileiro (ASA), vem pautando a discussão sobre a instalação desta tecnologia, em contraponto ao trabalho que há anos está sendo realizado no âmbito da mobilização social para construção das cisternas de placas. Só em Exu, segundo o Prefeito Léo Saraiva, estão sendo cadastradas mil famílias para receberem as “caixas”.

Neste sentido, no último dia 15, o Caatinga fomentou a discussão durante evento realizado na comunidade do Lauriano no município de Exu, para inauguração das 182 cisternas do convênio da ASA/Prorural implementado pela ONG Chapada. Na mesa estavam o Secretário Executivo da Agricultura Familiar, Aldo Santos, o Coordenador do Chapada, Edésio Medeiros, O Coordenador do Caatinga, Márcio Moura, o Secretário de Políticas Agrárias do STR de Exu, Manoel Viveiro, o representante do Prorural, Arlindo José, o técnico do PDHC, Pedro Batista e o Prefeito de Exu, Léo Saraiva.

O Coordenador do Programa de Desenvolvimento Regional e Políticas Públicas do Caatinga, Márcio Moura falou sobre a Campanha contra as Cisternas de Plástico. “Enquanto ASA, frisamos a nossa manifestação contra as caixas de plástico, com base na argumentação dos custos mais altos, a durabilidade da cisterna de placas versus a de plástico, a manutenção da estrutura, como também, a desmobilização das famílias diante da chegada de uma tecnologia sem ser discutida com a agricultura campesina”, explicou.

Na ocasião, foi ressaltado que o diálogo do governo estadual com a ASA (Articulação do Semiárido) está cada vez mais consolidado, e se convertendo em ações para a agricultura familiar. Com o novo convênio serão construídas 21.000 cisternas de 16 mil litros para consumo doméstico e 16.000 cisternas de 52 mil litros para produção. O Secretário Aldo Santos reforçou que o governo estadual apostou na metodologia da ASA, pois a contrapartida do estado foi fundamental para as negociações com o MDS.

*Texto – Colaboração: Márcio Moura

Fonte: Do Blog Elba Galindo

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog