FMI diminui crescimento da América Latina e do Brasil em 2013 e 2014

Washington, 9 jul (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou nesta terça-feira para baixo as perspectivas de crescimento da América Latina e do Caribe para 2013 e 2014, que segundo o organismo terão a mesma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2012.

Segundo a atualização apresentada hoje do relatório “Perspectivas Econômicas Globais”, a previsão de crescimento do Brasil em 2013, que já tinha sido diminuída em abril, foi rebaixada agora em meio ponto, de 3% para 2,5%.

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde. EFE/Arquivo

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde. EFE/Arquivo

A América Latina não ficará alheia à desaceleração global nos próximos dois anos, e por isso seu crescimento foi rebaixado em quatro décimos em 2013, até 3%, e em cinco décimos em 2014, até 3,4%.

A queda da demanda mundial e do preço das matérias-primas afetaram de maneira especial países emergentes como o Brasil, que apesar de tudo crescerá acima do 0,9% registrado em 2012.

O FMI rebaixou em até oito décimos a previsão de crescimento da economia brasileira em 2014, até 3,2%, abaixo das expectativas do início do ano.

O organismo também cortou o crescimento esperado para o México. A economia do país não conseguirá manter neste ano o crescimento de 3,9% de 2011 e 2012 e verá reduzida a expansão de seu PIB para 2,9%, cinco décimos a menos do que o previsto em abril.

Já em 2014, o México se expandirá 3,2%, dois décimos a menos que o previsto inicialmente.

Da EFE

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog