Fora de acordo com TV, Guarani e Lusa sofrem com queda do C13

Sete meses após a implosão do Clube do 13, entidade que reunia 20 dos principais clubes de futebol do país, só Portuguesa e Guarani, entre os que faziam parte da associação, ainda não assinaram contrato individual com a Rede Globo para a cessão dos direitos de transmissão.

Ambos disputam a Série B, assim como Sport, Vitória e Goiás, mas, ao contrário desses três clubes, não chegaram a um acordo com a emissora.

Ignorados pela televisão, temem a diferença que isso poderá fazer em seus cofres.

Adriano Vizoni – 30.mar.2011/Folhapress
Estádio Brinco de Ouro da Princesa, do Guarani
Estádio Brinco de Ouro da Princesa, do Guarani

Antes da dissolução do Clube dos 13, Guarani e Portuguesa faziam parte do mesmo grupo de equipes na divisão das receitas da TV.

Com eles estavam os outros três clubes que hoje também disputam a segunda divisão do Nacional, além de Atlético-PR, Coritiba e Bahia.

Pelo atual contrato, o último negociado pela associação e que se encerra no final deste ano, cada uma dessas equipes teve direito a aproximadamente R$ 13 milhões por temporada em 2010 e 2011 –metade desse valor para os que disputaram o acesso.

Em fevereiro, entretanto, pouco antes da realização de uma nova concorrência para a venda dos direitos entre 2012 e 2014, um movimento encabeçado pelo Corinthians esfacelou o Clube dos 13, e as equipes passaram a negociar seus contratos de forma individual com a Rede Globo.

Sozinhos e sem apelo, Guarani e Portuguesa perderam a força que tinham quando ainda discutiam em grupo.

“Só teremos algo se subirmos”, disse o vice-presidente financeiro do clube de Campinas, Jurandir Assis.

“Eles usam um critério de visibilidade e audiência regional”, afirmou o dirigente, ao explicar por que outras equipes da Série B já se entenderam com a emissora.

O discurso do Guarani é ainda mais desanimador porque o clube não nutre esperanças de acesso, ao contrário da Portuguesa, líder da Série B, que trata do assunto com discrição para não criar atritos numa provável negociação para o ano que vem.

A diferença entre o que recebem na Série B e o que poderiam receber na Série A a partir de 2012 é de R$ 27,5 milhões, já que os clubes alinhados a Guarani e Portuguesa na antiga divisão firmaram acordos de cerca de R$ 34 milhões a partir do ano que vem.

Esse dinheiro seria um alento ao Guarani, que deve estimados R$ 120 milhões.

“É uma queda vertiginosa”, afirmou Assis, que lembra que o clube, como membro do Clube dos 13, foi incluído na divisão dos direitos mesmo quando disputou a Série C. Até por isso, os campineiros se posicionaram pela manutenção da entidade no início do movimento.

Segundo o cartola, a Globo procurou o clube, mas as conversas não evoluíram. “Não há nada para conversar, só se voltarmos à Série A.”

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog