Foz do Iguaçu distribui 80 mil inseticidas em campanha contra dengue

Uma dedetização em massa, na mesma hora e com duração de cinco dias. Assim é a campanha iniciada na segunda-feira (28), em Foz do Iguaçu (PR), para combater o mosquito transmissor da dengue.

Leia cobertura sobre a dengue no Brasil

A prefeitura distribuiu cerca de 80 mil frascos de inseticida –um por imóvel– para ajudar os moradores na guerra contra o Aedes aegypti.

A aplicação começou às 21h, com direito a fogos de artifício, sirenes e buzinaço do Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal nas principais ruas e avenidas da cidade. Tudo isso para alertar a população para o início da caçada ao inseto.

“A ação foi muito efetiva, com todos mobilizados ao mesmo tempo. Será assim até sexta-feira, sempre às nove da noite, com todos aplicando o spray dentro das moradias”, disse o médico veterinário André Leandro, coordenador de Operações do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

O objetivo é eliminar a fêmea do mosquito para evitar a sua multiplicação. Segundo o CCZ, 85% dos depósitos para reprodução estão dentro das casas, principalmente em locais escuros. “A ação sincronizada evita que o mosquito fuja de uma casa para outra”, informou Leandro.

Quanto aos cuidados com a saúde, ele disse que são os mesmos adotados para outros inseticidas.

Antonio Lopes/Divulgação
Agente de saúde conversa com moradores sobre campanha contra a dengue
Agente de saúde conversa com moradores sobre campanha contra a dengue

Para a Secretaria Municipal de Saúde, os procedimentos tradicionais –como a eliminação de água parada e a limpeza dos terrenos– são fundamentais para reduzir os focos, mas são incapazes de impedir a reprodução do mosquito na totalidade.

“Eu usei o spray debaixo da cama, atrás da pia, debaixo do tanque e da estante”, diz a tesoureira Loreni Rodrigues, 27. Já a dona de casa Luci Maria da Silva, 55, afirma que gostou da ideia, mas fez uma ressalva: “O spray acabou rápido. Não deu para passar nem na metade da casa”.

O secretário municipal de Saúde, Alexandre Kraemer, explicou que o frasco tem a dose exata para durar os cinco dias da mobilização coletiva. “Se acabou no primeiro dia foi porque exageraram na aplicação. A alternativa é o cidadão comprar o produto no mercado.”

Um tubo grande do inseticida custa R$ 8, em média. O tamanho do frasco distribuído na cidade é um pouco menor. A prefeitura informou ter pago R$ 80 mil à multinacional Raid pelo lote.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog