Gaddafi diz que seu regime ainda vive e é baseado no povo

France Presse

O ditador líbio, Muammar Gaddafi, cujo paradeiro é desconhecido, chamou a atual situação no país de “farsa” e pediu à população que não acredite na queda do regime em uma mensagem de áudio divulgada nesta terça-feira.

Na gravação transmitida pela rede de televisão síria Arrai, ele também disse que os aviões da Otan, a aliança militar do Ocidente, não poderiam continuar as operações na Líbia. Segundo Gaddafi, sua liderança foi estabelecida com base na vontade do povo e não pode ser retirada.

“O que acontece na Líbia é uma farsa que só é possível graças aos bombardeios aéreos, que não vão durar para sempre”, disse o ditador. “Não festejem nem acreditem que um regime foi derrubado e que outro o substitui, graças aos bombardeios aéreos e marítimos”.

Gaddafi ressaltou que seu regime ainda vive e chamou seus partidários a resistirem aos avanços das forças rebeldes.

“O sistema político na Líbia é um sistema baseado no poder do povo. É impossível que esse sistema seja removido”, afirmou.

COMBATES

A mensagem de Gaddafi vem depois de intensas batalhas na segunda-feira nos últimos redutos leais ao regime que duraram durante toda a noite. Nesta manhã, tropas do CNT (Conselho Nacional de Transição, órgão político rebelde) se reagrupavam para um novo ataque contra Sirte, terra natal do ditador, segundo a rede Al Jazeera.

Um anúncio transmitido via rádio pela Otan pedia repetidamente que os apoiadores de Gaddafi se rendessem na cidade. “O mundo está vendo você”, dizia. “Esta é sua oportunidade de ficar ao lado do povo líbio e escolher o lado certo da história”.

Segundo moradores que escaparam de Sirte, centenas de pessoas estão presas na região, sem eletricidade ou meios de comunicação.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog