Governo vê investimentos futuros como motivo de alta do dólar

O governo atribui a alta do dólar à corrida de investidores no mercado futuro, no qual são negociados contratos de câmbio, para liquidar as apostas feitas anteriormente na queda da moeda.

Folha apurou que a avaliação é que não há necessidade de vender, neste momento, os dólares das reservas internacionais, pois não há falta de moeda.

Dólar fecha a R$ 1,86 com forte alta; Bovespa cede 0,70%
Governo descarta vender reservas apesar de alta do câmbio
Mantega descarta medidas para conter valorização do dólar

Para o governo, o problema no mercado futuro que puxa o dólar para cima e se esgotará em poucos dias.

Isso não significa, porém, que o dólar voltará a ficar abaixo de R$ 1,60. Para reduzir a pressão sobre o mercado futuro, o Banco Central anunciou antecipadamente que não irá rolar quase US$ 2 bilhões em contratos que vencem no dia 1º de outubro.

A entrada de dólar no país despencou de US$ 2,8 bilhões, há duas semanas, para US$ 395 milhões na semana passada, mas o governo avalia que isso não foi determinante para as cotações.

Ontem, a moeda americana foi negociada por R$ 1,862 no mercado de câmbio doméstico, em uma forte alta de 4%.

Há 15 meses o mercado de câmbio doméstico não negociava o dólar a preços tão altos como os vistos na sessão na quarta-feira.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog