Hoje ídolo no Náutico, Gideão já pensou em abandonar o futebol

Gideão, goleiro do Náutico (Foto: Aldo Carneiro)

Gideão, goleiro do Náutico (Foto: Aldo Carneiro)

Titular indiscutível do Náutico e uma das maiores revelações recentes do clube alvirrubro, Gideão nem esperava, mas, apenas dois anos depois de pensar em abandonar a carreira, ele está prestes a disputar a competição mais importante do país, a Série A. Aos 24 anos, o goleiro é um exemplo de como a carreira de um jogador de futebol pode se tranformar do dia para a noite e de como a perseverança pode render bons frutos a quem trabalha duro no dia a dia.

O início de Gideão foi nas divisões de base da Cabofriense-RJ. Depois, se tranferiu para o Rio Branco-ES, onde ganhou, em 2008, o troféu de revelação do Campeonato Capixaba. Foi para o Moreirense-POR, da segunda divisão portuguesa, mas teve problemas com o treinador, que não acreditou em uma jovem promessa de apenas 20 e pediu à diretoria um goleiro mais experiente. Foi aí que Gideão chegou a Pernambuco.

Pensei em largar tudo e ir para casa ficar com a minha família”
Gideão

– Fui rejeitado lá em Portugal e vim para o Vera Cruz, disputar a Segunda Divisão do Pernambucano. O Náutico se interessou por  mim e fui contratado, mas na época já havia três goleiros na equipe profissional e eu não estava treinando junto com o elenco. Como também não tinha mais idade para jogar no time de juniores, fiquei treinando em separado junto com os garotos da base. Nessa época, pensei em largar tudo e ir para casa ficar com a minha família.

Sem espaço, Gideão foi emprestado ao Centro Limoeirense-PE, para disputar mais uma vez Série A2 do Estadual. Na volta ao Náutico, o goleiro foi integrado ao elenco profissional e no Campeonato Brasileiro da Série B uma brecha do destino o colocou no gol alvirrubro de onde não saiu até hoje.

-O Glédson era o goleiro titular e sofreu uma luxação no cotovelo no jogo contra o Guarani. Na época, o Waldemar Lemos fazia um rodízio entre eu e o Rodrigo (Carvalho). Não era para ser a minha vez no banco, mas ele precisou viajar e eu entrei nessa partida. Vencemos por 2 a 0 e assim fui começando a me firmar no gol do Náutico.

Para o ‘Paredão’ timbu, a figura de Waldemar Lemos foi fundamental para que sua carreira desse essa guinada tão repentina. O goleiro creditou sua descoberta à força do treinador do Náutico em mantê-lo no time, numa situação em que muitos não teriam coragem.

Gideão - Náutico (Foto: Aldo Carneiro)Gideão é hoje um dos ídolos do torcedor do Náutico  (Foto: Aldo Carneiro)

– Devo muito ao Waldemar e ao Paraíba (treinador de goleiros), por terem confiando em mim, quando ninguém me conhecia. Tem muito craque por aí que está esquecido por que não têm oportunidade. Por isso, eu admiro muito o Waldemar Lemos, que teve a coragem de apostar em um atleta que até então não tinha jogado em equipes de expressão e que iria substituir um goleiro reconhecido como o Glédson.

Em 2012, Gideão tem mais um grande desafio: Manter-se como titular do gol do Náutico tendo à sombra o goleiro Felipe, ex-Santos e Avaí. A disputa é encarada com naturalidade.

-O Felipe é um cara muito gente boa. Converso bastante com ele e nós sabemos que futebol é assim mesmo. Uma hora alguém está melhor e fica com a vaga no time. Resta trabalhar forte para ser a primeira opção do professor na hora de escolher quem ficará no gol.

Com contrato até o final de 2015, Gideão se espelha em ídolos como Kuki e Bizu e espera poder conquistar de vez a torcida alvirrubra. Mas, para se tornar um dos grandes jogadores da história do Náutico, o sempre simpático capixaba da cidade de Vitória-ES, sabe que tem que ralar muito, principalmente agora que vai disputar um campeonato onde vai encarar fera como Neymar, Lucas, Fred e muitos outros jogadores de qualidade na Primeira Divisão do Brasileiro.

-Não imaginava chegar tão rápido à uma Série A, por isso, fico muito feliz de estar em uma equipe como o Náutico, e sendo bem aproveitado. Sei que vou enfrentar jogadores de muita categoria, mas não podemos escolher adversários no campeonato que reúne os melhores do Brasil. Agora é procurar estar sempre crescendo, evoluindo e buscando cada vez mais o reconhecimento das pessoas aqui no Naútico, sempre com bastante humildade.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog