Ídolos dos anos 80 e 90, jogadores tentam sucesso nas urnas

Dinho, Sicupira, Bobô e Lauro; Beijoca, Valdir e Fabiano; Washington, Túlio e Jajá. Não é a escalação de algum clube do Campeonato Brasileiro, mas sim a lista de possíveis candidatos na eleição de 2012 que vão explorar o prestígio conquistado nos campos de futebol.

Ídolos dos anos 80 e 90 querem repetir o sucesso de Romário (PSB-RJ), um dos mais votados no país em 2010 e atual destaque na Câmara dos Deputados.

Outra inspiração é o deputado federal Danrlei, 38, que em pouco tempo foi alçado de ex-jogador esquecido a líder político no Rio Grande do Sul. Ele acaba de assumir o comando no Estado do PSD, de Gilberto Kassab.

Colega dele nos tempos de Grêmio, o ex-volante Dinho anunciou sua filiação ao DEM. Em Porto Alegre, o torcedor-eleitor ainda terá ao menos outras quatro opções de boleiros nas urnas.

O deputado estadual gaúcho Paulo Borges (DEM) ajudou na filiação de três ex-jogadores e diz que o partido queria fazer na política um “Grenal” (Grêmio x Inter).

“O mais difícil é formatar alguém [para ser candidato]. Eles [os jogadores] já vêm prontos”, disse à Folha.

O prazo visando as eleições de 2012 acabou há duas semanas e provocou uma corrida a filiações de última hora. Não só capitais são alvos dos neopolíticos.

BRIZOLISTA

Mal começou a vida de ex-atleta, em janeiro, e Washington, 36, decidiu iniciar uma nova carreira.

Duas vezes artilheiro do Brasileiro pelo Atlético-PR e Fluminense, ele se filiou ao PDT de Caxias do Sul (RS), onde mora, e deve ser candidato a vereador.

Washington se diz admirador de Leonel Brizola (1922-2004) e afirma que o objetivo maior é se eleger deputado federal em 2014.

“Houve o convite do partido. No primeiro momento, fiquei um pouco pensativo, bati um papo com assessores. Eu tinha uma ideia de ajudar pessoas, usar meu nome. E me convenceram”, disse.

Para ele, os ex-craques têm como vantagem a experiência em outros países.

O sucesso dos boleiros nas urnas, no entanto, está longe de ser garantido. Nas eleições de 2010, foram vários os fracassos de candidatos conhecidos das torcidas.

Um dos maiores ídolos da história do Corinthians, Marcelinho Carioca, por exemplo, não conseguiu se eleger deputado federal pelo PSB. Outro foi o ex-corintiano Vampeta (PTB-SP), que fez apenas 15 mil votos para a Câmara dos Deputados.

Outros, porém, conseguiram se eleger. Bebeto, ex-jogador da Seleção Brasileira, é deputado estadual no Rio pelo PDT. Na Assembleia, tem como colega o ex-jogador Roberto Dinamite, pelo PMDB.

  editoria de arte/folhapress  
jogadores

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog