Inflação sobe 0,37% em agosto e acumula 7,23% em 12 meses

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) registrou inflação de 0,37% em agosto, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (6). A taxa é superior à verificada em julho (0,16%). Em agosto de 2010, o índice havia sido de 0,04%.

Mais uma vez, o IPCA, índice oficial de inflação do país, ficou acima do teto da meta do governo –de 6,5% para 2011. No acumulado em 12 meses, a taxa foi de 7,23%.

Salários mantém ganho acima da inflação
Alimentação eleva custo de vida em São Paulo, aponta Dieese
Preços de itens ligados a vícios sobem mais que inflação
Mercado eleva previsão de inflação e reduz para PIB e Selic
Cesta básica sobe em 10 capitais em agosto, aponta Dieese

De janeiro a agosto, o índice soma uma inflação de 4,42%, segundo o IBGE. A taxa acumulada em 12 meses é a mais alta desde julho de 2005, quando havia sido de 6,57%.

O IPCA acelerou de julho para agosto em razão das altas do grupo alimentação, que havia registrado queda de 0,34% em julho e subiu 0,72% em agosto. O grupo habitação também contribuiu para a elavação do índice, com alta de 0,32% em agosto.

Entre os alimentos, a maior pressão veio das carnes, que, após recuo de 1,12% em julho, subiram 1,84%, em agosto. No grupo habitação, o destaque de alta ficou com o aluguel, com variação positiva de 1,06%.

Ainda no grupo alimentação, também pressionaram a inflação de agosto a taxa de água e esgoto (1,05%) e os eletrodomésticos (2,38%).

Outro foco de aceleração dos preços veio do grupo vestuário, cujos preços avançaram de 0,10% em julho para 0,67%.

O único grupo que trouxe alívio à inflação foi o de transportes, com taxa negativa de 0,11% em agosto –após alta de 0,46% em julho. A deflação ocorreu devido a redução dos preços das passagens aéreas (-5,95%) e dos automóveis novos (-0,37%) e usados (-0,61%).

Diante da alta da alimentação, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que mede a inflação das famílias de renda menor (de 1 a 6 salários mínimos), subiu mais do que o IPCA: 0,42% em agosto. O índice –no qual o grupo alimentação tem peso maior– acumula alta de 7,40% em 12 meses.

O IPCA usa a mesma metodologia do INPC, mas se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos

Fonte: Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog