Inundações na Tailândia causam ao menos 112 mortes

As autoridades da Tailândia, através do Departamento para a Prevenção de Desastres, aumentaram nesta segunda-feira para 112 o número de mortos e para 1,5 milhão o número de desabrigados pelas inundações que afetam há dois meses extensas áreas do norte ao sul do país.

Bangcoc se preparou para receber a partir de hoje a água que desce do norte a caminho do golfo de Siyam e cujo volume alcançava os 3.031 metros cúbicos por segundo no rio Chao Phraya, a 50 km da capital tailandesa.

As autoridades calculam que o nível máximo desta cheia na principal metrópole do país será atingida na quinta-feira.

Rungroj Yongrit/Efe
Família rema em bote, passando por templo inundado em província tailandesa; 1,5 milhão estão desabrigados
Família rema em bote, passando por templo inundado em província tailandesa; 1,5 milhão estão desabrigados

Os meteorologistas não preveem marés altas especiais nesses dias por isso que será mais fácil a passagem de água pela metrópole, na qual vivem cerca de 14,5 milhões de pessoas, e seu desaguamento ao mar.

Muitos agricultores anteciparam a colheita de arroz, uma das duas ou três que plantam anualmente, para evitar que se perdesse, mas mesmo assim o colhido em vários casos não cobrirá todas as despesas.

A Tailândia suporta todos os anos inundações e deslizamentos de terras fruto das fortes precipitações que caem durante a estação chuvosa ou das monções, que começa no final de maio ou em junho e se prolonga até outubro.

Rungroj Yongrit/Efe
Mulher estende roupa no varal de sua casa cercada de água das inundações na Tailândia, onde 112 morreram
Mulher estende roupa no varal de sua casa cercada de água das inundações na Tailândia, onde 112 morreram

DA EFE, EM BANGCOC

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog