Invencibilidades em jogo no Clássico dos Clássicos

90e8ddfc295d147519461fe4645c1357.jpg

Náutico e Sport escrevem mais um capítulo de sua centenária rivalidade
Ilustração: Portal NE10

Embora ainda busquem um melhor acerto, Náutico e Sport, que se enfrentam pela segunda vez no Campeonato Pernambucano Coca-Cola, a partir das 16h deste domingo (25), nos Aflitos, prometem um jogo equilibrado e em busca do gol. Apenas três pontos separam os donos da casa (terceiro lugar com 34 pontos) dos visitantes (líderes com 37). Portanto, um jogo que pode fazer a liderança trocar de dono. O Salgueiro, vice-líder com 35, também está na briga.

Além do molho por uma melhor colocação, os números também dão um molho especial à disputa. Na verdade, invencibilidades. Pelo lado do Náutico, já são 27 jogos sem perder no Eládio de Barros Carvalho sob o comando de Waldemar Lemos. A última vez que isso aconteceu foi na Copa do Brasil do ano passado, quando o time tinha Roberto Fernandes no comando.

» Meira Ricci apita seu primeiro clássico em Pernambuco

» Para Magrão, Sport tem que valorizar posse de bola

» Waldemar só define esquema momentos antes

O tabu em favor do time da Ilha também tem seu técnico como destaque. Mazola Júnior enfrentou o Náutico duas vezes como comandante principal e venceu as duas. A primeira, ainda pela Série B do ano passado, por 2×0. A segunda, no Estadual deste ano, por 4×3. Os dois jogos foram disputados na Ilha do Retiro. A derrota por 2×0, nos Aflitos na Segundona 2011 teve PC Gusmão como treinador.

Com os ingredientes na mesa, vamos aos responsáveis pela mistura. No timbu, Waldemar oscila entre dois sistemas táticos: o 4-4-2 e o 4-5-1. Na primeira opção, provavelmente aquela que irá utilizar, Siloé ganha a companhia de Doriélton no ataque. Independente dessa ‘numerologia”, o timbu deve ser um time pegador, até para evitar o apagão dos primeiros 15 minutos do clássico anterior, que permitiram ao rival marcar três gols.

“O Sport é um time forte, que precisa ser marcado de perto. Dentro da lealdade, não podemos dar espaço. Não podemos deixar que eles toquem a bola. E teremos de chegar junto, com o apoio da nossa torcida”, disse o volante Derley.

No lado rubro-negro, o técnico Mazola Júnior pode utilizar uma forma diferente daquela no primeiro confronto. Ele entrou com dois atacantes de área: Roberson e Jheimy. Como agora é dentro da casa vermelha e branca, a situação requer outra análise. Tanto que comandou um treino a portões fechados na última sexta-feira (23). “O Náutico atua muito diferente no seu estádio. Temos que analisar isso para definir o time.”

Assim, Willians disputa a vaga com Jheimy. No meio, Hamilton ainda não está totalmente recuperado de uma lesão muscular e pode ceder seu posto a Rithely.

Ficha do jogo:

Náutico: Gideão; Auremir, Marlon, Ronaldo Alves e Jefferson; Elicarlos, Souza, Derley e Eduardo Ramos; Siloé e Dorielton. Técnico: Waldemar Lemos.

Sport: Magrão; Moacir, Bruno Aguiar, Tobi e Renê; Hamilton (Rithely), Diogo Oliveira; Rivaldo e Marcelinho Paraíba; Willians (Jheimy) e Jael. Técnico: Mazola Júnior.

Local: Aflitos. Horário: 16h. Árbitro: Sandro Meira Ricci. Assistentes: Jossemmar Diniz e Pedro Wanderley. Ingressos: Arquibancada frontal (R$ 40) e arquibancada lateral e meia-entrada (R$ 20).

Fonte: Do NE10

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog