Isabel gasta R$ 140 mil para provar erro em doping do filho

Nos últimos três meses, a ex-jogadora de vôlei Isabel Salgado gastou R$ 140 mil contratando advogados, bioquímicos e laudos internacionais que contestam os resultados do laboratório brasileiro Ladetec, da UFRJ (Universidade Federal do Rio), único com status olímpico do país, que em julho apontou doping no exame de seu filho, Pedro Solberg.

A informação está na coluna de Mônica Bergamo, publicada na edição desta segunda-feira da Folha.

A notícia chegou às vésperas de Pedro disputar o Grand Slam da Rússia de vôlei de praia, e no meio da batalha para se classificar para a Olimpíada-2012.

Paula Giolito/Folhapress
A ex-jogadora Isabel posa com o filho Pedro Solberg
A ex-jogadora Isabel posa com o filho Pedro Solberg

Segundo Isabel, os laudos apontam falhas como falta de controle na coleta da urina, resultados díspares de exames e possibilidade de degradação da urina antes da realização dos testes.

Nesta semana, um exame feito no exterior revelará quem está errado: se o Ladetec, e seus resultados, ou se Pedro e sua família. O resultado deve sair na sexta-feira, 21.

“O Pedro não tomou nada, nem sem querer”, diz Isabel. “Ele é filho de uma atleta. Me acompanha nas quadras desde os seis anos.”

Há algumas semanas, a federação o autorizou a voltar a jogar até a conclusão do caso.

Isabel afirma também que se assustou com os custos do processo de defesa. Diz que, para fazer a contraprova do primeiro exame, por exemplo, o Ladetec cobrou R$ 15 mil. “E o atleta que não tem recursos, como faz?” A família enviou carta às autoridades internacionais. O laboratório, diz Isabel, acabou devolvendo o dinheiro.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog