Italiano Lorenzo Bini Smaghi se demite da diretoria do BC europe

O italiano Lorenzo Bini Smaghi, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), pediu demissão nesta quinta-feira, disse a instituição em um comunicado.

Bini Smaghi estava sob pressão há vários meses para que deixasse o cargo para a entrada de um francês. Segundo o BCE, ele informou ao presidente (do BCE), Mario Draghi, que deixará seu posto antes do término de seu mandato em 31 de maio de 2013 e irá para a Universidade de Harvard em 1º de janeiro de 2012.

A notícia chega no mesmo dia em que a Comissão Europeia divulgou dados pessimistas sobre o futuro da economia no continente.

Riccardo De Luca-21.fev.09/Associated Press
Imagem de arquivo mostra o italiano Lorenzo Bini Smaghi, que se demitiu do conselho do BCE nesta quinta-feira
Imagem de arquivo mostra o italiano Lorenzo Bini Smaghi, que se demitiu do conselho do BCE nesta quinta-feira

Bruxelas atualizou nesta quinta-feira suas previsões para os próximos anos e, diante da estagnação da economia de diversos países e perigo de recessão, disse esperar uma forte desaceleração do PIB (Produto Interno Bruto) da zona do euro.

Com isso, a expectativa é de que haja um crescimento de 1,5% em 2011 na economia dos países membros, desacelerando para 0,5% no ano que vem. Uma retomada do ritmo de avanço do PIB deve ocorrer em 2013, com uma alta de 1,3% prevista.

“O crescimento parou na Europa e podemos entrar em uma nova fase de recessão”, advertiu Olli Rehn, comissário europeu de Assuntos Monetários, no documento sobre as previsões da comissão.

A estimativa para a dívida bruta da zona do euro é de 88% neste ano, subindo para 90,4% em 2012 e 90,9% em 2013.

GRÉCIA E ITÁLIA

Em relação à Grécia, um dos maiores focos de tensão dos mercados atuais, a expectativa é de recessão no próximo ano, com a economia apresentando retração de 2,8% –em contraste com o 1,1% de avanço previsto anteriormente. Para 2011, a previsão é de queda de 5,5% no PIB, enquanto um leve crescimento de 0,7% deve vir em 2013.

O prognóstico para a dívida bruta da Grécia em 2011 é de 162,8%, acelerando a 198,3% em 2012 e a 198,5% em 2013.

Já na Itália, outro país cujo desempenho econômico preocupa, a previsão é de avanço de 0,5% do PIB em 2011, ficando praticamente estagnado em no ano que vem, com leve alta de 0,1%. O deficit, porém, deve ficar a 3% do PIB, teto tolerado pelo pacto de estabilidade da UE (União Europeia).

A desaceleração deve atingir também a todos os grandes Estados membros da UE. Na Alemanha, o crescimento passa de 2,9% este ano para 0,8% em 2012; na França vai de 1,6% para 0,6%; e no Reino Unido desacelera de 0,7% para 0,6%.

DA FRANCE PRESSE, EM FRANKFURT

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog