Lula receberá remédio por bomba de infusão até sábado

O ex-presidente Lula deixou o hospital ontem com uma bomba de infusão para receber quimioterápicos continuamente por 120 horas.

A bomba ficará o tempo todo ligada ao cateter implantado em Lula, inclusive à noite e durante o banho, e só será retirada no hospital.

‘Não existe espaço para pessimismo’, diz Lula em vídeo
Bento 16 afirmou que irá orar por Lula, diz embaixador
Despesas hospitalares de Lula serão pagas por plano de saúde
Ex-presidente Lula deve deixar hospital depois do almoço
Internautas usam doença para atacar Lula
Irmão de Lula sofreu com tratamento e venceu tumor

“A bomba parece uma pochete. Dá para manter uma razoável rotina com ela”, explicou Ulisses Ribaldo Nicolau, da oncologia clínica do hospital A.C.Camargo.

A aplicação de quimioterápicos por bombas de infusão como a usada por Lula permite que o paciente faça parte do tratamento em casa.

“É uma alternativa para medicação. Existe há cerca de vinte anos e pode ser usada em vários tipos de câncer”, afirma o oncologista Auro del Giglio, do hospital Albert Einstein.

Mas, de acordo com del Giglio, a opção pela bomba encarece o tratamento e, por isso, é rara no sistema público.

“No SUS, o paciente tem de ficar no hospital para receber a medicação”, explica.

Hoje há dois tipos de bombas. A primeira, usada para liberações longas, como no caso de Lula, funciona com uma bateria. Outro tipo é acionado com calor do corpo.

Ambas alertam o paciente caso a medicação pare.

  Ricardo Stuckert – 31.out.2011/Instituto Lula  
A presidente Dilma Rousseff e o ministro Guido Mantega (Fazenda) visitam o ex-presidente Lula no hospital
A presidente Dilma Rousseff e o ministro Guido Mantega (Fazenda) visitam o ex-presidente Lula no hospital

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog