Mais de 1.200 veículos apreendidos lotam pátios de polícias em Goiás

 

A falta de espaço para guardar veículos apreendidos tem causado transtornos nos pátios das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal na região Sudoeste de Goiás e no Entorno do Distrito Federal. Nos municípios de Jataí, Luziânia, Águas Lindas e Valparaíso de Goiás cerca de 1.220 veículos estão amontoados em pequenos lotes, garagens ou até mesmo na frente das unidades, onde eles ficam sem nenhuma proteção.

De acordo com o delegado do Centro Integrado de Operações de Segurança de Luziânia(Ciops), Rosivaldo Linhares, os carros que se envolveram em acidente também ficam expostos na unidade. “As seguradoras não vêm buscar os veículos com facilidade. Elas aparecem com um caminhão-cegonha somente quando tem um lote grande”, explica o delegado.

Já no batalhão da PM em Jataí, 70% dos veículos são motocicletas que foram apreendidas por estarem com a documentação irregular. Na maioria dos casos, as multas e os impostos chegam a ultrapassar o valor comercial dos mesmos. “Para retirar os veículos, é preciso pagar o financiamento, o imposto e estadia. Por isso, o alto custo para retirar o carro ou motocicleta se torna inviável para o dono e, assim, ele acaba deixando o veículo no pátio”, explica o major da Polícia Militar Davi Pires.

Sucatas
No posto da PRF em Jataí, que fica na BR-364, a situação não é diferente. Entre os 140 caminhões, carros e motos apreendidas, alguns deles não têm mais valor, pois ficaram destruídos após se envolverem em acidente. Com isso, a unidade fica lotada de carros parados e sucatas. “Nós temos uma preocupação constante com esses veículos. Como não existe nenhum alambrado no local, eles ficam expostos ao tempo e acabaram se deteriorando”, declara o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Moisés Alves.

Ainda na região sudoeste, o delegado André Fernandes afirma que na garagem da Polícia Civil de Jataí a situação também é preocupante. Em um pequeno espaço, cerca de 50 motocicletas estão amontoadas juntamente com outros automóveis. “Infelizmente, os veículos ficam nos postos policiais até decisão da Justiça. E, durante a análise do inquérito, eles ficam armazenados de forma inadequada”, lamenta o delegado.

Ameaça
Em Luziânia, que fica na região do Entorno do Distrito Federal, carros roubados, batidos ou que são peças de inquéritos, tornam-se locais oportunos para proliferação do mosquito da dengue. As sucatas ficam cheias de água em meio a máquinas de caça níquel apreendidas.

Confira abaixo o número de veículos amontoados nas unidades policiais:

Município Unidade Veículos
Jataí Polícia Militar 600
Jataí Polícia Rodoviária Federal 140
Luziânia Polícia Civil 250
Águas Lindas de Goiás Polícia Civil 150
Valparaíso de Goiás Polícia Civil 80

Fonte: Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog