Mercado virtual de cobaias humanas barateia pesquisa

Cada vez mais popular entre psicólogos, o serviço Mechanical Turk, da Amazon, permite recrutar centenas de cobaias humanas e submetê-las a alguns tipos de experimento em menos de 48 horas. Melhor ainda, tudo isso a custo muito baixo, para não dizer irrisório mesmo.

Um dos grandes problemas de pesquisas em psicologia é conseguir cobaias humanas em número suficiente.

Os estudos frequentemente exigem que o sujeito recrutado desempenhe tarefas bastante aborrecidas, como preencher longos questionários e resolver testes bobos, pelas quais os cientistas nunca podem pagar bem, dada a carência crônica de verbas.

O resultado é que, desde os anos 1950, psicólogos se utilizavam principalmente de alunos de graduação, os únicos ao alcance que topavam trabalhar por créditos ou remuneração simbólica.

Isso introduziu um viés fundamental em boa parte de nosso conhecimento acumulado. Muitas das conclusões tiradas para jovens adultos de classe média de fato valem para todo o gênero humano, mas nem todas.

O Mechanical Turk está mudando isso. Criado em 2005, é um mercado online que permite a qualquer um comprar trabalho humano pagando poucos centavos de dólar por tarefa.

Inicialmente, a ferramenta foi concebida para resolver dificuldades da própria Amazon, como eliminar páginas duplicadas, mas logo foi aberta a todos.

Os serviços requisitados variam bastante, mas sempre envolvem coisas que computadores são incapazes de fazer, como responder a pesquisas de opinião, procurar por erros em páginas da internet, palpitar sobre títulos.

O requerente descreve a tarefa que deseja ver realizada, revela o tempo estimado para completá-la e o valor da remuneração, tipicamente, entre 2 centavos e 50 centavos de dólar.

Uma pesquisa que envolva centenas de indivíduos (número alto em psicologia) pode sair por poucas dezenas de dólares. A Amazon fica com 10% do valor.

A pergunta que não quer calar é: quem trabalha por tão pouco? E a resposta é: mais de 100 mil pessoas de cem países que completam mais de 10 mil tarefas por dia.

Pesquisadores se puseram a esquadrinhar o próprio Mechanical Turk e fizeram descobertas interessantes. Embora muitos “trabalhadores” (61,4%) usem o serviço para complementar sua renda, as motivações principais são se divertir (40,7%) e matar o tempo (32,3%).

O melhor para os psicólogos, porém, foi verificar que os usuários são mais diversos que a população da internet e que o universitário típico, como mostrou estudo de Michael Buhrmester.

Surpreendente foi descobrir que o valor da remuneração, embora afete a velocidade com que se conseguem trabalhadores, não influi na qualidade das respostas, que é considerada boa, equivalendo ao padrão psicométrico de pesquisas aceitas para publicação.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog