Mineiro é preso nos EUA por fivela de cinto em formato de soco inglês

Igor Pessali foi preso no aeroporto de Nova York (Foto: Arquivo Pessoal)

Igor Pessali foi preso no aeroporto de Nova York

(Foto: Arquivo Pessoal)

Um estudante mineiro, de 24 anos, foi detido, nesta segunda-feira (19), nos Estados Unidos, quando tentava embarcar em um voo de Nova York para Miami, de onde retornaria para o Brasil. Igor Pessali, que mora em Belo Horizonte, conta que o motivo da prisão seria a fivela de um cinto que se assemelha a um soco inglês. “O cinto estava na mala e, assim que ela passou pelo raio-X, um funcionário chamou a polícia. Fui algemado e levado para a uma espécie de delegacia no aeroporto”, relata.

Segundo o estudante, depois de ficar detido por cerca de quatro horas no terminal, ele foi encaminhado para um presídio no Queens, onde permaneceu até as 13h (horário de Nova York) desta terça-feira (20). Depois disso, ele teve o passaporte devolvido, mas foi informado que não poderia deixar o país. Igor Pessali também relata que teve que comparecer a uma audiência na Corte do Estado de Nova York, na qual foi assistido por advogado do governo americano. Segundo o jovem, ele teria sido induzido pelo defensor a assumir o crime de posse ilegal de arma, mas por não ter aceitado, uma nova audiência foi marca para esta quinta-feira (22).

Igor Pessali e a mãe dele, Regina de Carvalho, reclamam da falta de apoio das autoridades brasileiras em território americano. “Eu estou arrasada e decepcionada com o governo americano porque meu filho foi desrespeitado, mas também estou chateada com o consulado [do Brasil], que não fez nada”, lamenta. O estudante conta que ao procurar o consulado, um funcionário disse que tudo não se passava de um mal entendido. “Para eles foi um mal entendido, mas para o estado de Nova York é um crime. E estou pagando por isso”, diz.

De acordo com o estudante, a única ajuda recebida do consulado foi a indicação de um advogado. “Pela indicação tive um desconto, mas tive que desembolsar US$ 2 mil. Não sei se era dever do consulado, mas não me deram direito nem a uma defesa digna”, reclama. O consulado brasileiro em Nova York disse que não vai se pronunciar sobre o caso.

O mineiro conta que não imaginava que um cinto poderia causar tanta dor de cabeça. O assessório foi comprado durante a viagem, em Orlando, na Flórida. De acordo com estudante, ele desembarcou em Nova York com o assessório sem que houvesse problemas. Segundo Igor Pessali, diferentemente da legislação da Flórida, o Estado de Nova York considera crime o porte de soco inglês. O consulado confirmou que portar o objeto é considerado um crime naquele estado.

O estudante aguarda a audiência nesta quinta-feira (22) para que a situação seja resolvida e possa voltar para o Brasil. A mãe do jovem afirma que está apreensiva e que, caso o filho continue retido nos Estados, embarcará para o país ainda nesta quinta-feira.

Fonte: Do G1 MG

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog