Ministro do Esporte pede ao procurador que investigue acusações

O ministro Orlando Silva (Esporte) pediu nesta segunda-feira que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, abra uma investigação sobre as acusações de corrupção na pasta, que chefia desde 2006.

No ofício, o ministro disse que está a disposição para “prestar todos os esclarecimentos necessários”.

“É mais uma iniciativa para que todos os fatos sejam esclarecidos e que fique claro que as supostas denúncias não passam de mentiras e calúnias, feitas por um cidadão que está sendo processado pela Justiça”, afirmou o ministro, em nota divulgada no site do ministério.

Na África do Sul, Dilma evita comentar situação de Orlando Silva
PF abrirá inquérito para investigar acusações contra ministro
Dilma convoca ministro do Esporte para dar explicações
PM acusa ministro Orlando Silva de montar esquema de corrupção
Denúncias contra ministro do Esporte ‘são infundadas’, diz PC do B

Daniel Marenco – 15.out.2011/Folhapress
Ministro Orlando Silva (Esporte), que é acusado de corrupção
Ministro Orlando Silva (Esporte), que é acusado de corrupção

Silva é acusado de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes.

A acusação foi feita à revista “Veja” pelo policial João Dias Ferreira. Segundo ele, o ministro teria recebido dinheiro vivo na garagem da pasta, o que Silva nega.

Na tarde de hoje, o ministro irá dar uma entrevista coletiva sobre o caso.

O Ministério da Justiça também vai determinar à Polícia Federal a abertura de um inquérito no começo desta semana.

Já o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), vai apresentar hoje um requerimento convidando o policial para falar na Casa.

O ministro também deverá falar na Comissão de Fiscalização e Controle sobre as acusações.

A oposição quer ouvir também Célio Soares Pereira, que afirmou à “Veja” ter entregue dinheiro ao próprio ministro na garagem do ministério, em Brasília, no final de 2008.

Ferreira foi preso em 2010 pela Polícia Civil do Distrito Federal sob suspeita de envolvimento no desvio de recursos do mesmo programa.

Segundo nota divulgada ontem pelo ministro para se defender do conteúdo da reportagem da “Veja”, atualmente o ministério “exige a devolução de R$ 3,16 milhões, atualizados para os valores de hoje”.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog